terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Volta


Como sonho e som antigo
Salto o canto e sinto
Amigo

Tanto conto e tal perigo
Tento tudo
O mal não sigo

Não entendo que se aproxime
Instigo desejo por teu crime

Fujo aflito do inimigo
Como o joio
Entrego o trigo

Saio então do meu abrigo
Como sonho e som antigo
Amigo

4 comentários:

Vilma disse...

Curto e agitado, ficou legal!

malmal disse...

não consigo ler sem colocar o "Como" como verbo e dai imagino uma viagem gastronômica...

bijo

Taty disse...

Tudo bem, eu volto.........

Fábio Adiron disse...

Na referência ao joio...é o verbo mesmo