domingo, 12 de abril de 2015

Poemeto sintagmático


Ana lê sem tática
Orações descoordenadas
Que seu avô, cativo,
Apostava restritivas

Detido pelo agente da passiva
Por contravenções sindéticas
Adverbiou-se subordinado
Ante seu adversativo sujeito

Sou objeto sem predicados
E denoto complementos
Ad-hoc e ad-nominais
Sem caráter explicativo.

4 comentários:

Taty disse...

As serpentes da cabeça da Medusa se enrolaram mais ainda!

rubens osorio disse...

Vc é um cara sintagmático? Nunca imaginei isso de vc!!!

Fábio Adiron disse...

É sintomático que eu o seja

Fábio Adiron disse...

A cabeça precisa de um ser pente