segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Discutindo a relação


Uma relação binária, ou seja, entre duas pessoas, é uma correspondência existente entre dois conjuntos não vazios A e B. É importante que os conjuntos não sejam vazios, caso contrário, ou A ou B estará falando com a parede e, nessa hipótese, não se discute barafunda nenhuma e qualquer hipótese matemática, assim como certas vacas, já foi para o brejo.

O conjunto A é denominado conjunto de partida e o conjunto B é denominado conjunto de chegada. É importante ressaltar que partida, nesse caso, não se trata de partir um prato na cabeça do outro. Nem chegada é o ato, popularmente conhecido como "chegar junto', isso não tem nada a ver com a retórica, ainda que algumas vezes seja benéfico para o contexto como um todo.

Se A e B forem pessoas comuns, a correspondência entre os dois conjuntos é dada em termos de pares desordenados, onde o primeiro elemento do par é ordenado e procede do conjunto de partida A e o segundo elemento do par procede do conjunto de chegada B, com o único objetivo de destruir qualquer possibilidade de lógica no sistema. A possibilidade de entropia é nula. Nem se aventa a hipótese de ímpares ordenados, essa só é possível entre pessoas incomuns.

Os conjuntos de partida e de chegada não tem necessariamente que ter uma estrutura, o que é bastante frequente quando se chega ao ponto de se discutir a relação. Entretanto, segundo o tipo de estrutura que é sobreposta a esses conjuntos e o tipo de restrição que se impõe à própria relação, têm-se tipos especiais de relações, cada qual com um nome específico. Os nomes mais comuns são filoxera, mnemônico, filologia e fofinho.

O baixo calão também é bastante utilizado, mas a Fapesp veta-os para fins de estudos científicos, nesse caso além da relação ir para o espaço, perde-se também a bolsa.

Sacou ?

4 comentários:

Lou Mello disse...

Desculpe. Sei que não tem nada a ver, mas você me lembrou a D. Elza Baba, minha professora japonesa de matemática, na primeira série ginasial. Tivemos (Ela e eu) uma relação péssima. Nós não nos entediamos de jeito nenhum. Tentamos de tudo, mas nada deu certo. Não havia carinho, respeito e nunca houve sexo entre nós. Uma lástima. Sem falar que não consegui aprender nada de matemática com aquela infeliz.

malmal disse...

hã hã... mas como sempre digo...ah! vc sabe o que sempre digo..

bijim

Vilma disse...

Não gosto de discutir relação, dá muito trabalho... isso sem falar que saímos de lugar nenhum e chegamos a lugar algum... saquei, mas ainda não gastei...

Taty disse...

Discutir relação é como discuir o sexo dos anjos.........melhor partir pra ignorância ou cada um virar pra um lado e dormir!