domingo, 30 de agosto de 2009

Entrando pelos canos

Minha casa tem tubulações variadas. Todas escondidas nas paredes, entre tijolos, cimento e concreto.

Tubos de água limpa, fonte de pureza e vida.

Tubos de água suja, carregando os muitos catabólitos domésticos.

Tubos com fios que trazem a energia para movimentar a clarear os ambientes.

Tubos com fios que trazem notícias, lazer e, claro, mais um monte de outros catabólitos.

E, claro, tubos de gás. Que garantem o calor não metafórico.

Mas também existe toda uma rede de tubulações que não ficam escondidas, ainda que nem sempre sejam visíveis.

Canos de várias bitolas que atravessam a casa em todas as direções.

A tubulação dos sentimentos é uma delas.

Algumas vezes esses correm em encanamentos distintos, os limpos por um lado, os sujos pelo outro, mas, ao contrário da água, algumas vezes esses se misturam e provocam entupimentos colossais.

Também andam muitas vezes juntas as idéias que correm em canos flutuantes. São canos de uso intermitente. Algumas horas sobrecarregados, outras, completamente vazios.

De todas as tubulações imaginárias, a minha rede preferida é a dos sonhos.

Por ela correm os que eu tenho dormindo e também os meus devaneios, quando acordado.

O fornecimento é constante e garantido pela agência nacional de onirismos e afins, a ANOA.

Os de boa qualidade são guardados, os de má, rapidamente eliminados pela tubulação de sentimentos sujos.

É um encanamento que não envelhece, não enferruja e não gera despesas.

E o melhor de tudo, quando a rede é compartilhada, os sonhos se transformam em fonte de vida.

5 comentários:

Juliana disse...

Depois me manda o telefone do seu encanador.

Vilma Mello disse...

ANOA? então é isso...rs
Bem vindo ao clube!

Beijo

Virginia disse...

"E o melhor de tudo, quando a rede é compartilhada, os sonhos se transformam em fonte de vida."


Uma das coisas mais lindas que já li...beijos da sua prima porteña...

Bel disse...

Ah, esse é o tipo de texto que não dá pra comentar... é só balançar a cabeça e pensar: Por que não fui eu que escrevi???

Bjooo

Arimar disse...

Fábio.
Como sempre. Escrevendo coisas realmente lindas.
Beijos.