terça-feira, 18 de agosto de 2009

De olhos fechados

Mauro sempre tentava surpreender Cecília com seus presentes.

Nem sempre conseguia, ela já o conhecia bem demais para tanto.

Mas ela não achava ruim aquela previsibilidade. Ele também a conhecia e sabia muito a respeito dos seus gostos.

Quando não eram flores, eram roupas. Quando não roupas, perfumes. Eventualmente ele comprava algo diferente.

Todas as vezes fazia a mesma tentativa de pedir que ela fechasse os olhos e tentasse descobrir.

Quando não adivinhava pelo cheiro, o fazia pelo formato do pacote.

Até que um dia Mauro resolveu mudar a embalagem.

Comprou um vestido, pediu para a lojista não colocar na caixa da loja.

Foi até uma papelaria e escolheu uma caixa de formato incomum.

Embrulhou a caixa em plástico bolha e, por fim, colocou numa sacola de estopa.

Quando chegou em casa pediu que Cecília sentasse no sofá e fechasse os olhos.

Colocou o pacote nas suas mão e fez a clássica pergunta.

Ela manuseou a estopa, apertou o pacote e sentiu as bolhas estourarem. Virou de um lado para o outro.

Ele já se sentia um vencedor quando ela lhe falou:

"- Não sei o que é, mas é vermelho."

Mauro ficou estático: " - Como assim, vermelho ?"

" - Oras, é uma coisa vermelha dentro da caixa, envolta pelo plástico bolha, em uma sacola de estopa".

E era. Um vestido vermelho cor de sangue. Do jeito que ela gostava.

Mauro continuou a mimar Cecília, mas nunca mais brincou de adivinhas.

4 comentários:

Bel disse...

Espero que você seja como Cecília, e adivinhe os meus comentários dos posts anteriores, que eu li mas não consegui tempo pra comentar. :D

Vilma Mello disse...

Eu fico aqui tentando adivinhar sua expressão facial ao escrever esses textos

beijos de terça

Rubinho Osório disse...

Pô, acho que a Cecília é irmã do Cris Angel...
O Mauro devia ter embrulhado um vestido azul com um cartão "vale um vestido vermelho". Queria ver ela advinhar!!!

Raquel disse...

O Mauro,cobrindo todas as vontades...com um cara assim,fica difícil não acertar...