domingo, 16 de agosto de 2009

Caminhos do coração

Um dia você passseava pela superfície externa do meu coração quando, no caminho da veia cava superior, vindo da inferior, você entrou à esquerda na artéria pulmonar, sem saber ao certo se a rua tinha saída.

Quase entrou na contramão quando acessou o átrio direito, achando que, por estar do lado esquerdo do peito, o trânsito seguia a mão inglesa.

Você tinha razão, o trânsito era um caos e, na bagunça do meu coração, seu sangue acertou a descendente anterior e se achou.

Aquele guia antigo, que você trazia nas mãos, estava desatualizado. Ainda que nenhuma válvula tivesse sido duplicada, nem a mitral tivesse virado um calçadão, o estado geral das vias era precário.

Há muito o poder público não cuidava da manutenção. Os logradouros pareciam áreas abandonadas.

Os imóveis estavam cada vez mais imóveis. A tricúspide passava a impressão de que poderia ruir a qualquer momento.

Nem um GPS dos mais modernos seria capaz de marcar corretamente os seus passos.

Estudou cuidadosamente a anatomia topográfica e foi se apossando de tudo. O usocapião dos ventrículos e das valvas foi quase que imediato.

Reformou o septo garantindo que o tráfego interventricular fluísse em paz.

Agora até a mitral ganhou vida com a sua presença. A aorta lembra uma autobahn alemã.

E, quando digito seu nome no Google Maps, ele ocupa todos os endereços do meu coração.

4 comentários:

Vilma Mello disse...

Usocapião dos ventrículos...hahahaha
só você mesmo

Beijos e ótimo domingo

Vilma

Anônimo disse...

Adoro anatomia...biologia...mas, amores virtuais....não.
Apesar de pragmática,gosto de romances reais.
beijos

Raquel disse...

Para o meu coração,que já não aguenta
mais nenhuma reforma,está fora do compasso,em fim de carreira...um amor virtual machuca menos.

clau disse...

Que GPS, Google maps, que nada.
Em um caso assim, bem melhor lançar mao da circulaçao extra corporea!
Bjs!