domingo, 16 de março de 2008

Melhor não contrariar


Ela estava num daqueles dias (essa expressão seria suficiente para enfurecer todas as feministas de plantão mas, antes que alguma salte nas tamancas, eu continuo...) em que o mundo parecia conspirar contra qualquer coisa que ela fizesse. Aquele dia a que cada ação correspondia uma crítica arrasadora.

O que não sabia é que o dia ainda não tinha acabado e, ao encostar o carro (que tinha sido multado por estacionamento irregular) na porta de casa, deu de cara com Margarida, a sua vizinha. Quando a viu, lembrou-se imediatamente que miséria pouca é bobagem. Margarida era daquelas pessoas que não pode ser contestada a respeito de nada. Ela sempre tinha razão, por mais irrelevante que fosse o assunto, sempre reagia com furor.

Desceu do carro para abrir o portão da garagem e tentou ser breve, oferecendo apenas um aceno de cabeça. Não adiantou nada, Margarida era sempre Margarida :

"- Oi lindinha. Chegando mais tarde hoje ?"
"- Fazer o quê ? O trânsito anda cada vez pior." - respondeu tentando entrar no carro antes que a conversa esticasse.
"- Faça um chá de maracujá que diminui o stress."
"- Eu odeio maracujá..." A frase ainda não tinha saído completamente da sua boca e ela já tinha percebido a besteira que cometera.
"- Como assim odeia maracujá ? Ninguém odeia maracujá. Maracujá é a melhor fruta que existe, chega mesmo a ser chamada de fruta da paixão..."
"- Não, não sabia...você sabe se o carteiro passou hoje ? Estou esperando um pacote."
"- Que a paixão do maracujá é a paixão de Cristo por causa do formato da flor que parece uma coroa de espinhos...Qual é o seu problema com o maracujá ? "
"- Meu problema nesse momento é só entrar na minha casa e tomar um banho..."
"- Também sabe das propriedades calmantes do maracujá ? Que é da família da passiflora..."
"- ...depois disso fazer a janta, lavar a roupa e estudar para a prova de inglês de amanhã..."
"- Você tem idéia de que o Brasil é o maior produtor mundial de maracujá ?"
"- ...e tentar dormir um pouco.."
"- Sabe que o nome do maracujá é um nome tupi que quer dizer..."
"- Chega ! Seu maracujazeiro está cheio ? Pode me dar uma dúzia...duas dúzias...qualquer coisa, eu vou comer maracujá até morrer de indigestão, de azia, de torpor..."

Essa é apenas uma parábola e, mesmo gostando de maracujá, eu também já conclui que é melhor deixar para lá. O médico mandou não contrariar

4 comentários:

Lou Mello disse...

Falando nisso, não tomamos suco de maracujá quando estivemos juntos em São Paulo. Só de uva.

Vilma disse...

Deixe a Margarida conhecer um tal de chá de sene.... hahahaha!

Fábio Adiron disse...

Lou : o de uva, especialmente o fermentado é melhor..

Vilma : o que é chá de sene ?

Vilma disse...

dando uma de Margarida:

O Sene é conhecido também pelo seu nome científico de Cassia angustifolia Vahl. Pertence a família Leguminosae. Os folídeos são a parte utilizada para fins fitoterápicos, eles apresentam odor fraco, entretanto característico e sabor mucilaginoso e amargo.

O Sene, é uma planta originária da Índia e Somália, cujo sua introdução na fitoterapia foi feita por médicos árabes no século IX.

É um dos fármacos mais conceituados como purgativo, por não provocar inflamações secundárias muito comuns quando se utilizam purgativos drásticos. É uma planta típica de regiões tropicais, que espontaneamente vegeta melhor em locais montanhosos e menos nas proximidades de grandes rios.

Por favor não contrarie o google nem conte para a Margarida, rs