terça-feira, 25 de março de 2008

Metafísica a uma hora dessas ?

Amor...ah o amor... o amor é lindo.

Mas também é um negócio complicado porque o danado tem a mania de se manifestar de formas variadas como se fosse um vírus mutante e fico pensando algumas vezes sobre essas manifestações.

Não seria perfeito encontrar a pessoa que reunisse, ao mesmo tempo, todas estas manifestações ?

O amor que se manifesta na paixão. Incendiário. Que faz com que você delire, perca a cabeça e siga o coração.

Amor que se manifesta no dia-a-dia, na rotina, mesmo quando as coisas parecem conduzir ao tédio ele está lá temperando o relacionamento. Em momentos com molhos fortes, em outros apenas com pitadas de flor de sal, sutilmente.

Um amor que se revele em todos os momentos. O amor incondicional. Sem medo de abrir o coração e a mente um para outro.

Amor sensual. Nos encontros e desencontros dos corpos. Na excitação criada por pequenos toques. E também em grandes turbilhões de prazer.

Claro, isto é apenas utopia. Mas não deixo de imaginar que poderia ser possível.

Todos nós acreditamos que um dia vamos encontrar esse amor. Que será aquele que só acontece uma vez na vida (e que muitos acreditam terem deixado passar a oportunidade). Asssim como sempre esperamos que seja exatamente aquele que está ao nosso lado, pronto para revelar uma face que desconhecíamos.

Não deixa de ser uma esperança que alimenta os sonhos e a poesia.

Vou ficando por aqui (no sentido original e não o moderninho da palavra). Como sempre apaixonado.

Vou ficando por aqui. Como sempre. Como nunca.

5 comentários:

Sandra Mary disse...

E o que seria de nós se não fossem os sonhos, a esperança ...

Bjs!!!

Vilma disse...

Uma colher de sopa de açucar e uma colher de chá de sal, uma receita otimista para o amor, na pessimista inverta as quantidades.

malmal disse...

hummmmmmmmm, sabe que tentei? dá até certo com zilões de litros d'agua pra engolir sapos acompanhados de olhos que me olham, que me calam e aceitam...sabe uma balança?

então pese vc tb...mas não balance.

bijok de pc roubado rsrsrsr

Taty disse...

Amor.........mmmmmmmm, nada melhor do que sentir um grande amor, saber que ese amor também é correspondido e que as fronteiras não existem!

Denise João disse...

Querido Adiron, você continua inteligente, cultíssimo e de uma escrita impecável, mas para um apaixonado, parece mais um espectador de si mesmo. Se a paixão não te traísse no "Vou ficando por aqui. Como sempre. Como nunca.", leria teu texto em qualquer lugar e ele seria de qualquer um, como a crônica obrigatória de um jornalista ao periódico que o contratou. Seria bem escrita, seria elogiada, seria eloqüente, mas não teria a alma do escritor. Suas verdades. Ou suas mentiras, fossem o que fossem. Sinto falta do teu lirismo. Acho que ele existe. Ou fui eu quem sonhei? ;-)

Beijosss...