domingo, 14 de outubro de 2007

Lesão por educação repetitiva


Quando eu estava na 4a série (acho) uma professora de matemática ensinou a teoria dos conjuntos. Dona Nice. Dona e não tia, no meu tempo de primário não tínhamos essas intimidades. Teoria dos conjuntos era aquele negócio de união, intersecção, contém, está contido... Se estou correto sobre o ano escolar isso foi em 1971. Vivi quase vinte anos sem saber para que isso servia e me esqueci completamente do assunto, até que em 1990 trabalhando com seleções para marketing com banco de dados tive um estalo de Vieira e a teoria dos conjuntos apareceu como mágica à minha frente.

As minha lembranças da escola, mesmo tendo sido um bom aluno, são de um lugar onde o conhecimento se transmite na base do fórceps e com as respectivas dores de parto. Pouca coisa mudou desde quando a escola assumiu esse formato que tem. Muita informação, pouco conteúdo, quase nenhuma aplicação prática do que se ensina.

Por isso não deixa de ser engraçado pensar a respeito do dia dos professores, nos últimos anos me envolvi muito com a educação e me relaciono com centenas deles. Ou melhor centenas delas e alguns deles já que ainda é uma área quase que exclusivamente feminina.

Eu mesmo, há mais de 5 anos, de certa forma, me tornei um deles. Tenho evitado que meus alunos acabem o curso com LER, o que me parece ser o padrão das escolas. Ou será que são os professores que sofrem de LER e a transmitem aos bancos (sim, ainda são bancos e carteiras) escolares ?

Fica a minha homenagem, e a esperança que as futuras gerações (futuras mesmo, porque as atuais só trocaram o Melhoral por Doril ou outras drogas) se lembrem da escola de uma outra forma.


Psicose escolar



verbos
verbetes
definições

fórmulas
formulários
comentários
sumários
resumos
explanações

contas
contas
contas

preciso de um melhoral

5 comentários:

Anônimo disse...

olá! sou professora e concordo com você, pois fui aluna e tive muitas dificuldades na escola, me senti professora quando lecionando para uma quarta série um aluno me disse
- agora entendi como fazer a divisão! e eu respondi - mas é isso que quero, que vocês entendam o processo, o como se faz para isso sou professora para ensinar e ensinar até que entendam. Acredito que a aprendizagem do aluno deva ser o que todo professor deva busca. Mas o que mais acontece é o professor que adora fazer as provas justamente por saber que seus alunos não sabem, isso aconteceu na escola da minha filha, e acredito que em muitas outras. Sei que tem muitos professores que querem melhorar a educação, mas tem muitos que se esqueceram que foram alunos.o problema não esta somente nos professores que fazem seus alunos terem os tais moviementos repetitivos, mas muitos pais querem seus filhos ocupados no periodo fora da escola com a tarefa repetitiva, leituras obrigatorias, pois para eles isso é aprendizagem.

Anônimo disse...

ah! a escola e os mestres!!! tenho boas lembranças e lembranças não tão boas, mas entre outras coisas a escola me ensinou a ter admiração pelos professores, já que não tenho paciência para ensinar, só posso admira-los, no Brasil, mais ainda.
Então, parabéns pra vc tb e bijo

malmal

Vilma disse...

Não guardo boas recordações da escola, exceto as horas do recreio em que ficava na biblioteca, não por incentivo, mas por exclusão social mesmo, mas sou grata por que aprendi que alunos são bens preciosos que se lembrarão de nós pelo resto da vida, nem sempre pelo nome mas pelas nossas atitudes, então me esforço para que diferente de mim tenham boas recordações e sintam-se valorizados pelo que são e pelo que estão aprendendo a ser.

Vilma disse...

Para males que se mantém, não mude apenas o nome do remédio, mude a formula.

Taty disse...

Percebo que as crianças de hoje tem + tesão em estudar do que na minha época de escola.....Talvez se voltasse pra escola, hoje, aprenderia com + facilidade as matérias de que não gostava.