quarta-feira, 18 de março de 2009

Nala

Quando eu a conheci foi paixão à primeira vista. Bonita, esguia, sedutora. Mas ela era muito reticente.

Nos primeiros encontros ela me ignorava. Quando muito me lançava um olhar desconfiado.

Mesmo assim eu sempre tentava seduzí-la. Ela me esnobava solenemente.

Não me lembro exatamente quando foi que o gelo quebrou e ela se dignou a me dar um pouco de atenção. Não muita. Ela era econômica nos seus afetos.

Enfim, deixei que ela me descobrisse. Ela, no seu tempo, foi me explorando e até permitia que eu a tocasse.

O tempo passou, aos poucos nos tornamos mais próximos. Ela não se escondia mais quando eu chegava.

Um dia me surpreendeu e sentou ao meu lado no sofá. Encostou a cabeça no meu colo e eu a acariciei longamente.

Depois disso nunca mais deixamos de nos alegrar mutuamente. Me divertia com as suas aventuras.

A vida acabou nos afastando, tinha cada vez menos chances de vê-la. Mesmo assim ela não se esquecia do meu amor.

Há poucos dias soube que estava doente. Hoje soube que ela morreu (era sério e lhe poupou mais sofrimentos) e me entristeci.

Vou sentir saudades da Nala.

7 comentários:

Juliana disse...

Sem comentários engraçadinhos. Está lindo o texto e a Nala também era linda.

Taty disse...

Chorei....e ainda vou chorar...não há leituras de jornal a 2, não há brincadeiras de esconde-esconde por causa dos temporais e nem focinhadas noturnas.....Mas ela partiu pra uma Viagem e um dia todos que gostavam muito dela serão recepccionados com mios e ronronadas gostosas.

clau disse...

Ah...que coisa triste que é perder um animal...
Criamos uma ligaçao afetiva que transcende o entendimento, e sofremos muito em nao poder compartilhar o afeto incondicional que sò eles nos sabem dedicar...
Perdi meu scottie Chubby em outubro passado e o meu gato Bathazar pouco tempo faz. Chorei um rio de lagrimas e ainda me lembro deles vivamente.
Bjs!

neli araujo disse...

Meus sentimentos, Fábio!

Estes 4 patas sempre acabam ficando donos dos nossos corações!

Abraços sentidos!

Rubinho Osório disse...

E ainda há quem não entenda porque tem gente que gosta de bichos, animais domésticos. Esse texto explica.
Condolências...

Maria disse...

Ela existiu mesmo, Fabio?

bete disse...

Pô, que peninha...