quinta-feira, 12 de março de 2009

Contículo Ex-tremista

Para a Cristiana Soares que, há tempos, denunciava esse crime


O sagüi inconseqüente subia com freqüência no salgueiro antiqüíssimo do aqüífero Anhangüera.

Naquele ponto tinha uma visão grandiloqüente dos animais, especialmente eqüinos que viviam na contigüidade daquele agüeiro.

Sabia que era inexeqüível fazer-lhes uma argüição. Sabia a conseqüência de um coice. Iria se ensangüentar, sem direito a enxágüe. acabaria por se desmilingüir.

Certa manhã olhando com obliqüidade, notou uma delinqüência no pasto. Como era um ser eloqüente deliberou alcagüetar a ambigüidade eqüestre.

Antes que míngüe minha eqüidade usarei minha lingüística junto ao ser consangüíneo que costuma ficar eqüidistante do eqüilátero.

O alcagüete, que não era de amarrar cachorro com lingüiça, aproveitou a exigüidade de tempo e delatou a iniqüidade, dizendo :

" -Enxagüei minhas patas com ungüento, não posso agüentar freqüente comportamento que não seja eqüitativo...

Sobre o haras que deságüem as conseqüências !"


O trema, o mais simpático sinal gráfico da língua portuguesa morreu. Viva o trema.

6 comentários:

clau disse...

Realmente Fabio: estou com vc! Pobre, pobre trema...
Que ia muito além de suas possibilidades ortograficas, pq embuida na magia das walquirias, perdida nas raizes do seu passado...
Ao menos em minha imaginaçao: obvio!
Mas eu aqui, com o meu teclado italiano e sem meu Aurélio, estou fora de muita coisa mm, e ja ha muito tempo. E nao seriam estas ultimas modificaçoes que me piorariam a coisa... rss.
Mas a trema, ao qual eu era especialmente afeiçoada, me deixara com muitas saudades...
Bjs!

Cristiana Soares disse...

hahahahahahahahah! adorei!

e essa imagem com o MST tá ótema!

o trema tem a função de destacar o "u". sem ele, como ficamos? a fonética com o passar das gerações vai mudar, não?

fora que eles são tão lindos!

veja seu texto como está todo enfeitado :)))

Lou Mello disse...

Depois de tantos anos com ele, não seria agora a hora de abandoná-lo. Com ele até o fim: o trema.

Rubinho Osório disse...

Não tremo pela perda. Nunca o usei, para ser franco. E quando saía algum em meu texto, não era eu a usá-lo, era meu corretor ortográfico que o fazia...

Elis Zampieri disse...

To com o Rubinho, o coisinha supérflua esse tal de trema. Em tempos de crise melhor economizar.
Portanto to tranquila, (definitivamente sem trema)

Abraço.

bete disse...

O trema tem algo de erótico...