quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Contículo adverbial localizado

Existem horas em que eu me sinto completamente perdido. Não sei se fico aqui, vou até ali ou, num arroubo de ousadia me transporto acolá.

Tenho a impressão de estar nenhures. Não enxergo o que está atrás, nem adiante, quanto mais o que, em volta me cerca.

Olho em cima, à esquerda, à direita e é como se estivesse dentro de um quarto escuro.

Acredito que lá fora, o sol, algures, me iluminaria os passos onde eu andasse.

Sinto o medo por detrás e o pavor defronte. Nuvens sombrias ao longe indicam que estou ainda aquém de uma saída.

Dou um passo além. Se o cenário externamente não me favorece, melhor viajar adentro de mim mesmo.

Cá, algures, encontrarei o que não vislumbro fora.

Aonde estará a saída? Vagarei mundo afora em busca da resposta?

Seja longe, seja perto, não desistirei da busca, em que pese a distância.

Sei que estou aquém do que busco. Mas quando chegar lá, alhures repousarei.

7 comentários:

Vilma Mello disse...

Eu não sei nem o que falar... acho que vou rir...hahahaha

beijos de quinta

Rubinho Osório disse...

Pra lá de bom!!!

Ahn...Sim. disse...

kkkkkk, nossa... Nenhures é OTIMO...rsrsrs
Uma síntese, precisão e brevidade incríveis.

clau disse...

Creio que com isso vc encontrou o verdadeiro mapa verso uma utopia ou, quem sabe, uma "pazzia"... rss
Bjs!

Raquel disse...

Não se preocupe...você é normal...

Anônimo disse...

Algures...alhures...nenhures...rs
Reflexão pé-aniversário!?!?
beijos

Dra. costa disse...

Importante mesmo é a viagem. Chegar é outro começo.
Gostei de lê-lo.