terça-feira, 4 de maio de 2010

Carinho essencial

Vi-a de longe. Sabia muito bem o que era, apesar de ver apenas um vulto negro com dois grandes olhos amarelos olhando na minha direção.

Parei onde estava e fiquei esperando que algo acontecesse. Nenhum movimento. Apenas os olhos que, de tempos em tempos, piscavam.

Era um olhar intenso, sedutor e, ao mesmo tempo, assustador.

Dei um passo adiante e ela, de forma assustadiça se moveu, como se esperasse qual seria a minha atitude para definir sua próxima ação.

Sentei no chão e fiquei, em meio à escuridão, esperando que ela tomasse alguma atitude.

Ela esperou mais um pouco e, depois de alguns minutos de silêncio, moveu seu corpo esguio, cheio de curvas.

Me olhou com um jeito superior querendo ressaltar sua independência. Sua elegância caminhando na minha direção era emocionante.

Sem que eu fizesse nada, ela se aconchegou no meu colo esperando um carinho que sabia estava guardado só para ela.

Cochilamos juntos. Enroscados um no outro, sonhamos céus e oceanos.

3 comentários:

Vilma A. de Mello disse...

Que gata esperta!

beijos de terça feira

clau disse...

Ah...nada como o encanto gostoso de um gato!...rss
Pq além de ser um animal belo de se ver, é sempre uma otima companhia.
E as femeas, entao, quase sempre tem aquele "um quezinho" a mais.
Bjs!

Alice disse...

Essa permissão sem palavras é uma das melhores coisas de se viver, sempre fica na memória.
Beijo enorme!