sábado, 24 de outubro de 2009

Para não entrar em parafuso

Na matemática, espiral é uma curva que gira em torno de um ponto central, afastando-se ou aproximando-se deste ponto, dependendo do sentido em que se percorre a curva.

Portanto, temos dois conceitos que são fundamentais para a existência de uma espiral: curva e movimento, conceitos necessários também para várias outras atividades humanas.

De todos os tipos de espirais, a que eu gosto mais é a espiral elíptica, ela é definida como a curva traçada por uma caravela fenícia viajando de um trópico a outro mantendo um ângulo fixo em relação ao meridiano de Graywitch.

Imagine a cena. Mas cuidado, evite os círculos que costumam fazer muito mal para as espirais elípticas. Visualize o deslocamento na nau mantendo sempre a mesma inclinação da sua cabeça durante a viagem, caso contrário poderá ser vítima de enjôos.

O ponto de fuga imaginário aproxima-se do meridiano H de Hyerophantic com número infinito de revoluções orbitais e inóspitas e, a medida que que a distância entre elas vai diminuindo, a elipse se torna eterna.

Os bons geômetras geralmente traçam as espirais elípiticas somente em planos específicos, cujos vórtices lhe sejam únicos. A partir do vórtice de cada um, a hélice pode ter as mais diversas variações hiperbólicas, clotóides ou até mesmo fermatianas.

Os que tentaram fugir das curvas monotônicas nunca conseguiram traçar espirais perfeitas e se tornaram apenas casos degenerativos.

Deixo aqui minha recomendação, caso você queira entrar no mundo encantado das espirais elípticas identifique perfeitamente seu vórtice, aplique a função exponencial que seja mais adequada ao seu ritmo e movimente-se de forma constante, mas segura.

Certamente você chegara ao apex.

7 comentários:

Vilma Mello disse...

Não entendi nada, mas mesmo assim, beijos de sábado

Lucila disse...

Fiquei com vontade de comer rocambole...
Beijos

Juliana disse...

Nem dando muitas voltas eu descobri onde você queria chegar.

Virginia disse...

Qual é a força envolvida como consequência do movimento da espiral elíptica? Existem duas forças diferentes dependendo de sua direção? Onde se localiza o ponto de fuga neste tipo de espiral? Preciso destas respostas primo, com urgência...

Fábio Adiron disse...

Prima

A força delta paracinética envolvida nessa espiral costuma ser poderosa, desde que não distendida com exagero.

São dois vetores que juntos avançam numa direção única e não duas forças.

O ponto de fuga normalmente é um ponto marginal

Fábio Adiron disse...

Espero que também tenha escolarecido a Vilma e a Juliana com essa resposta.

Da Lucila eu aceito um pedaço de rocambole, se for de goiaba

Virginia disse...

Nossa primo, agora sim posso viver em paz...

Ah...também aceito um pedaço de rocambole, se for de doce de leite...