quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Traição latina

Nossa Sudamérica tem poetas excepcionais em todos os países. Nem todos conhecidos ou reconhecidos como deveriam.

É o caso de Eduardo Carranza, objeto de mais uma das minhas traições


Pensar em ti é azul, vagando
Um bosque dourado ao meio dia
Nascem jardins da minha alegria
Nas nuvens dos teus sonhos ando

Nos une e nos separa ar tão brando
Uma distância de melancolia
Eu abro os braços da poesia
Azul de ti, doído e te esperando

Como um horizonte de violinos
O leve sofrimento de jasmins
Penso no teu azul temperamento

O mundo se torna cristalino
Te olho, luzeiro ultramarino
Domingo azul meu pensamento

Para quem gosta de comparar, o original é o seguinte:

AZUL DE TI

Pensar en ti es azul, como ir vagando
por un bosque dorado al mediodía:
nacen jardines en el habla mía
y con mis nubes por tus sueños ando.

Nos une y nos separa un aire blando,
una distancia de melancolía;
yo alzo los brazos de mi poesía,
azul de ti, dolido y esperando.

Es como un horizonte de violin
eso un tibio sufrimiento de jazmines
pensar en ti, de azul temperamento.

El mundo se me vuelve cristalino,
y te miro, entre lámparas de trino,
azul domingo de mi pensamiento.

Eduardo Carranza
Poeta colombiano nascido en Apiay em 1913 y falecido en 1985.

2 comentários:

Vilma Mello disse...

Nada como pensar azul...

beijos

Juliana disse...

Linda descoberta. Pelo menos a gente fica sabendo que mais coisas vem da Colômbia além de drogas.