sábado, 31 de outubro de 2009

Contículo adverbial em transição

Negação

Quando Afonso se apaixonou por Sílvia ele tinha certeza que se tratava de um caso sem solução. Não poderia esperar reciprocidade, nem mesmo um olhar carinhoso. Nunca seria capaz de dizer que a amava e jamais se arriscaria a desafiar a lógica da paixão. Ela era mulher demais para ele e, de modo algum repararia na sua existência, de forma nenhuma lhe daria trela, tão pouco imaginaria que ele sentisse por ela mais do que uma mera amizade. Uma história de amor que não ocorreria de jeito nenhum.

Dúvida

Quis o acaso que Silvia, quiçá a mulher mais deslumbrante da cidade, casualmente olhasse para Afonso. E, se alguém, porventura, duvidasse de amores improváveis, por certo teria feito a aposta errada naquela situação. Possivelmente foi uma ação certeira do cupido, talvez uma daquelas histórias de contos de fadas, quem sabe a atração entre opostos. Provavelmente ninguém saberá explicar.

Afirmação

O que efetivamente aconteceu é que Silvia deveras se apaixonou por Afonso. Decididamente um amor verdadeiro e indubitavelmente o casal mais feliz do mundo. Ele realmente a queria de todas as formas, certamente, em qualquer situação. Os dois realmente oscilavam apenas entre o certo e o decerto. Sim, como só poderia acontecer, viveram felizes para sempre.

3 comentários:

Vilma Mello disse...

Cada vez mais eu me convenço que não existem amores impossíveis

beijos de sábado

Alice disse...

Delicia de texto...por ser tao real e provavel.
:-)
beijo.

Juliana disse...

Já pensou em ser professor de língua portuguesa? Seria muito divertido ter aula assim.