terça-feira, 20 de outubro de 2009

Exumando o latim

O Latim, dizem alguns, é uma língua morta. Até mesmo a igreja abandonou o seu uso desde que João XXIII errou uma declinação e concluiu que seria melhor rezar a missa em italiano mesmo.

Apesar disso continua sendo usada com bastante frequência por biólogos, juristas e insanos que, afinal de contas, não deixam de ser uns caras de morte.

Infelizmente, o que adrede ocorre nas citações da língua de Anastasius Bibliothecarius é que as traduções são muito mal feitas, como diriam os usuários originais do vernáculo: in rectus.

Tomemos como exemplo básico a célebre frase de Desidério Erasmo: "Homines non nascuntur, sed finguntur".

O desiderato de Desidério, antes de qualquer coisa, era ser chamado de Desiderius Erasmus pois, apesar de holandês, sempre almejou ser um nativo do Lacio.

Por isso mesmo que sempre repetia que "o homem que não nasce onde quer, finge ser de outro lugar". De tanto repetir essa frase nas docas de Roterdam ela acabou ganhando o mundo através dos marinheiros que a ouviam e a levavam para outras plagas.

No entanto, essa afirmação o levou a ser perseguido pelo governo holandês que se sentiu ofendido pelo antipatriotismo do filósofo e teólogo.

Erasmus foi convocado a se explicar diante dos lictores brabantinos onde declarou a popularização do seu aforisma era um verdadeiro elogio à sua loucura.

Percebendo que esse argumento não livraria de ser deportado para a cidade do Cabo, onde teria de aprender a falar a língua dos boers, preferiu declarar que sua frase havia sido vítima de uma má tradução.

Contrariando os latinistas célebres como Sieger de Brabant e Saxo Grammaticus, Erasmus ressaltou que sua frase queria apenas dizer que os homens não nascem prontos mas precisam se fazer.

Para completar sua declaração patriótica, Erasmus passou a assinar todos os seus textos como Desiderek van Erasmeletje.

Até hoje, essa distorção rinocerôntica da língua se perpetuou sem que ninguém exumasse sua verdadeira causa mortis.

3 comentários:

Vilma Mello disse...

Só você mesmo para mexer em defunto que já foi enterrado...rs

beijos de terça

Juliana disse...

Quosque tandem? quosque tandem?

Elis Zampieri disse...

Ando lendo coisas por aqui bem piores que o latim. :-)