quinta-feira, 11 de junho de 2009

Conticulóides sinfônicos

Allegro ma non troppo

Carlos mal conseguia se conter de tanta felicidade, não só estava há poucos dias do seu casamento com a bela Leonora, como acabara de sair da sala do chefe onde fora informado da sua promoção e transferência para um posto internacional na Europa. Só percebeu que caíra numa dissonância quando foi informado que o novo cargo seria baseado em Tirana, para onde Leonora não iria nem morta.

Andante poco sostenutto

Isadora olhava enternecida para Osvaldo deitado ao seu lado. Ele chegou cansado, jantou e foi descansar um pouco. Apagou profundamente. Os olhos de Isadora se encheram de lágrimas, nunca imaginara que pudesse estar tão apaixonada a ponto de se encantar com o ronco do seu amado.

Rondo con brio

Mário nunca supôs que poderia haver algum romantismo numa feira internacional de máquinas eletromecânicas, ainda mais considerando que ele era historiador e nunca gostara de física. Mas o prazer que sentia ao acompanhar Alice, sua namorada engenheira, no evento era indescritível. O brilho dos olhos de Alice diante de uma biela ou de um novo modelo de injeção eletrônica era muito mais forte do que num jantar à luz de velas.

Finale- molto vivace

Roberto andava calmamente no parque quando avistou Djanira de longe. Rapidamente tomou uma atitude, iria se declarar. Apontou em sua direção e caminhou resoluto. Em segundos mudou de rumo e saiu correndo em disparada ao notar que os dois rotweilers que ela passeava tinham escapado da coleira.

4 comentários:

Bel disse...

E essa foi a sua homenagem ao dia dos namorados??? Com dois rottweillers escapando da coleira??? Sacanagem pouca é bobagem... hahahahaha

Bjooo

clau disse...

Este seu "rondo com brio" se afinaria muito com a realidade.
Hihi.
Pobre Mario...!
Bjs!

Lou Mello disse...

Muito apropriado em véspera do dia dos namorados.

Juliana disse...

Tem uns que parecem cena de sitcom.