terça-feira, 2 de junho de 2009

Contículo adverbial à moda

Sempre soube muito bem que não se põe calmamente a mão no fogo às cegas mas, o meu jeito de agir às claras e generosamente me fizeram acreditar completamente no que ela me dizia.

Em geral, conversávamos frente à frente, caminhávamos lado a lado e eu supunha amorosamente que minha confiança era correspondida.

Os dias passavam devagar quando estava à toa ao seu lado, dessa maneira, aos poucos fui me deixando levar.

Mal sabia que ela adrede trairia a minha paciente ingenuidade.

Não saberia dizer se foi pior ou melhor, me esforcei debalde para entender por que ela fez tudo às pressas e encandalosamente.

No mínimo, tal acinte deveria ser feito às escondidas, desse modo eu, bondosamente, não sofreria em vão.

Hoje sigo tristemente à pé pelas alamedas, sabendo de cór como a dor chega assim depressa para que viveu docemente o engano.

Desse jeito, à vontade e calmamente, a ignoro propositadamente

4 comentários:

Juliana disse...

Definitiva e delaradamente uma das situações mais insanas do blog.

Insano também é advérbio de modo?

Virginia disse...

Insano é modo, mas não advérbio, insanamente é advérbio, de modo...insanidade é substantivo, e o pior, substantivo comum...

Rubinho Osório disse...

Ah, francamente, hein!!!

Juliana disse...

Virginia

No caso do Adiron acho que ocorre uma subversão da língua e o que era substantivo vira até locução adverbial. De comum não tem quase nada.