domingo, 1 de fevereiro de 2009

Sou do contra


Desde o seu lançamento ouvi muita gente me recomendando o filme Sideways (em português denominado "entre umas e outras"), especialmente por saberem que eu gosto de vinhos e essas pessoas acreditarem que o filme seja sobre esse tema.

Durante a minha maratona cinematográfica das férias (esse ano assisti 41 filmes) carreguei o DVD na bagagem. Se, dentre todos, não foi o pior filme que vi, certamente ficou classificado entre os 3 mais chatos e soníferos.

O filme se define como uma comédia (inclusive ganhou prêmios nessa categoria). Não tem graça nenhuma. Os personagens são pobres. De um lado um depressivo professor que não dá uma bola dentro da vida (o que os americanos classificam como "loser"), de outro seu amigo infantil e priápico. As mocinhas da trama também não se destacam pela originalidade nem pela profundidade.

O roteiro chega a ser indecentemente previsível. Boy meets girl, começam um relacionamento, tem um desentendimento provocado por um mal entendido e acabam felizes para sempre.

O contexto é supostamente enológico, a história se passa na região vinícola da Califórnia. O professor e as duas meninas são "entendidos" no assunto (o amigo do professor não entende nem quer entender nada, só quer farra sexual).

Fala-se muito em vinho. O filme aproveita a glamourização da bebida de Noé e de Baco, criando uma espécie de universo paralelo habitado por uma série de rituais e pelo excesso de semântica e pela arrogância de pseudo enófilos/enólogos pedantes com valor zero. Ao invés de ajudar na informações, criam uma aura de mistério como se a bebida fosse algo inatingível.

Além disso, o filme deifica os vinhos produzidos com Pinot Noir e atiram no último círculo do inferno a uva Merlot, como se todo vinho feito com a primeira fosse bom e com a última um lixo.

Sei que os adoradores do filme vão me bombardear por aqui. A eles meus brindes com grandes Merlots (por mais que eu goste também da Pinot Noir) tenho certeza que fugirão da minha oferta como o vampiro de alho).

O DVD ?? Ah...esse eu não me dei ao trabalho nem de colocar de volta na minha estante de filmes. Já deve ter sido reaproveitado em alguma estação de reciclagem.

4 comentários:

Mariazinha_ disse...

A conexão hoje não ajudou, desculpe.
Pois bem o filme... por isso que gosto de assistir A Lista de Schindler, sei que vou gostar e até choro antes mesmo da cena triste, ja decorei o filme.
:)
beijos, que o domingo seja muito feliz.

Vilma disse...

pasando batido ... não entendo nada de vinhos, nem de filmes mas deixo

Beijos de domingo

clau disse...

Hihihi, tudo é questao de opiniao e de gosto: como sempre.
Eles arrasaram com o Merlot e vc com o filme, rss.
Penso que, no conjunto, devem ter despertado o interesse pelo assunto em muita gente leiga e sò isto ja é algo positivo.
E o panorama do norte da California, sempre me tras muuuita saudade...
E admito que gostei do filme, que me divertiu, mm que nao fosse assim um Gaja,rss.
Bjs!

Taty disse...

Entre a rota do Panama e Los Angeles assisti um filme bem legal sobre vinhos, não lembro o nome, também pudera depois de quase 8hs de vôo e 2 taças plastificadas de vinho no avião já viu....ms conta a estoria de como um amaericano ganhou um concurso de vinho na França. Pareceu chatinho no começo, mas deu pra encarar depois (acho que no começo foi o sono do cansaço + vinho ).