segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Como um lírio


Nos seus olhos o brilho colorido de oceanos, nada pacíficos,
trazia o mistério de continentes submersos.

Seria apenas um sonho? Um delírio? Um presente que, de surpresa,
me brindava o universo?

Deixei-me levar pelas ondas arrebentando em cores e paredes,
por canções e não poucos versos.

Enquanto me guiava em corredores repletos de tesouros
um mundo totalmente diverso.

Entre linhas e entre textos escancaravam-se janelas,
portas e almas mostrando seus anversos.

Nem mesmo tempestades de adagas flamejantes
nos deixarão dispersos.

Nem densas trevas cotidianas esconderão
o bem querer onde me alicerço.


Imagem : quadro pintado por Virgínia Susana

3 comentários:

Virginia disse...

O meu quadro não podia ter moldura melhor...me refiro ao blog e ao poema maravilhoso ...o artista aqui..é você...um belo presente...

Mariazinha_ disse...

Olhos azuis?
Trevas cotidianas?
Tenho a impressão de ter pego um bonde andando...
De qualquer maneira, linda imagem, parabéns a Virgínia Suzana e lindo o poema.

Fábio Adiron disse...

Vir : não seja modesta

Mariazinha : a cor do oceano depende da luz do dia, algumas vezes pode ser azul, outras, com coloridos diversos