quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Desalinhado

Ella llevaba una camisa ardiente
Ella tenía ojos de adormecedora de mares
Ella había escondido un sueño en un armario oscuro
Ella había encontrado un muerto en medio de su cabeza
(Ella - Vicente García-Huidobro - 1941)


A geometria define uma linha como sendo um conjunto alinhado de pontos. Pode ser uma reta, ou não. Sendo, alegam que seja a menor distância entre dois pontos.

Não existem linha finas ou grossas. Uma linha grossa cria uma segunda dimensão e a linha passa a ser uma área e não a linha.

Corolariamente, dizer que existe uma linha fina que separa o amor do ódio é um pleonasmo. Se a linha for reta, vicioso, se for curva pode até ter algum estilo.

Existem linhas reais e imaginárias. Da segunda categoria a mais famosa é a do Equador, que nem Gagarin conseguiu ver, em meio a tanto azul.

Tanto as linhas que unem, como as que separam são muito frágeis. Podem ser rompidas ou ultrapassadas com pouco ou nenhum esforço. Intencionalmente ou não.

Linhas que separam a guerra da paz. Linhas que unem amantes (se bem que esses, geralmente, preferem laços que são mais fortes).

A linha que separa a ironia da gafe. O jogo de sedução do assédio sexual. A vida da morte.

Teve uma época que era muito bom de geometria (analítica e descritiva) - saudades do Prof. Fausto que entendia de linhas e de Chopin.

Mas o tempo passou e eu nunca mais usei essas coisas e desaprendi totalmente a lidar com elas.

Por isso já rompi algumas que deveria ter acompanhado em paralelo, e passei por cima de outras que deveria ter rompido.

O que não me impede de continuar olhando para cada uma delas com um misto de fascínio e pânico.

Como um desenho surrealista.

8 comentários:

Mariazinha_ disse...

...olhos de adormecedora de mares...
lembrei de outros "olhos", mas gostei demais destes.
Frágil a linha que separa princípios morais dos desejos da carne...
Tem que ter forçaaaaaaaaaaaaa pra segurar, *=*

Bel disse...

Adoro essas figuras de linguagem (só Deus sabe quais são, e eu não vou dar nome aos bois pra tomar bronca depois) que você usa... Deve ser cansativo levar toda essa bagagem cultural nas costas... pesa demais!!!

Beijooo

Fábio Adiron disse...

Mariazinha: toda linha é frágil

Bel: deve ser por isso que eu sou tão pesado...risos...será que se me livrar dela perco uns kilinhos?

bete disse...

Fábio, gostaria de entender de licores só para poder comparar um fino licor ao seu texto.

Elis Zampieri disse...

Então, eu também já andei filosofando sobre a linha por aí...
Por aqui...
http://docs.google.com/fileview?id=F.49449b9e-990f-49f3-b0cd-a567cdc32da2.

Beijos.

Elis Zampieri disse...

Acho que deu erro...

http://docs.google.com/fileview?id=F.49449b9e-990f-49f3-b0cd-a567cdc32da2&hl=en

Fábio Adiron disse...

Elis : deu erro nas duas vezes..o que que era?

Elis Zampieri disse...

hehehe! Quem sabe aqui...
http://rabiscosdaelis.blogspot.com/