sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Ab infantia usque ad decrepitam senectutem


Revirando os meus alfarrábios encontrei a minha primeira tentativa poética.

As rimas são pobres e os pés estão quebrados... fica aqui como um registro histórico

Poeta

Queria fazer poesia
Mas eu nunca fui poeta
como sê-lo, tal queria
Se nem a rima sai correta

E não é que agora acertei
Foi só para me desmentir
Já que isso, muito bem sei
Eu nunca irei reproduzir.

Raios...o que houve comigo?
Ora, novamente acertei
Não há de tardar, meu amigo
Em breve,aguarde, eu errarei

Vou fazer você tão feliz
Me esforçarei até errar
Dessa vez, veja, por um triz
Novamente fui acertar

Caro amigo, dileto leitor
Agora enfim lhe deixarei
Com tristeza e tal amargor
Sem sua atenção. Xi! Errei !

29 de outubro de 1975 (revisado quase 34 anos depois)
Antes que me perguntem : a foto é mais antiga que o poema

9 comentários:

Mariazinha_ disse...

A foto eu já tinha visto, acho que no álbum do terra.
Errou na rima, errou de propósito, errou pra acertar. *=*

Vilma disse...

O garoto é uma graça e mesmo com o pé quebrado escrevia bem.

Um beijo

Lucey disse...

Muito incentivador, principalmente para mim, que ando com dificuldade em expressar o que penso e sinto.
Beijo!
Que bom que o menino cresceu!

Anônimo disse...

Que Lindo!!!e a poesia é uma graça.
beijos

Elis Zampieri disse...

Eu nascia e você já fazia poesia.

E mamãe que apostava tanto nele...
Virou insano! :-)

bete disse...

Hau, hau, hau, um insaninho!

bete disse...

Ou um insanozinho?

Arimar disse...

Fabio.
Um garoto com jeito de quem levava maçã para a professora e sorria aos apertões nas bochechas, acompanhado do famoso :"que gracinha".
Quanto ao poeta, realmente a inteligência já era escancarada.

Beijos.

clau disse...

Ah bom...!
Tanto a fotinho qto o poema me pareceram muito sanos em confronto com os 34 anos que se passaram desde entao.
Bjs!