sábado, 3 de novembro de 2007

Canículas


Durante algum tempo eu escrevi sobre vinhos para um site chamado Redemoinho, na categoria de amador metido a besta. Claro, nunca cheguei a ser tão besta a ponto de falar sobre os aromas secundários de frutas tropicais subsaarianas. Então vou reeditar os melhores momentos e também escrever alguns inéditos.

Aproveitando a onda de calor, vou começar com Canículas, ou porque só os vinhos são discriminados no verão.


Canículas


Rio de Janeiro. 40 graus à sombra. Num boteco do Leblon come-se uma farta feijoada acompanhada de doses nada homeopáticas de caipirinha - de pinga, é claro.

Ijuí. 35 graus. Hora do almoço no campo. À beira da fogueira come-se um churrasco gordo. De mão em mão vai circulando a cuia de chimarrão, quente - é óbvio.

São Paulo. Temperatura do ar : 30 graus, temperatura do asfalto: 45. Dentro de um restaurante japonês bebe-se saquê em xícaras de porcelana. Morno - como manda a tradição.

Mas experimente pedir um vinho e rapidamente alguém vai perguntar:

- Vinho no verão? Você ficou louco??

Foram incontáveis as vezes que deixei de tomar um bom vinho por conta dessa queixa de quem me acompanhava - independentemente da temperatura em que se encontrava o ambiente. Sempre aparecia um chato para lembrar que era verão - e no verão não se toma vinho. Não se toma vinho ?

Não sei de onde surgiu o preconceito estival contra as bebidas derivadas da uva. Não tomamos vinho, não tomamos conhaque, não tomamos grapa. Por outro lado bebemos uísque, vodca, rum, cachaça - bebidas com teor alcóolico muito superiores a qualquer vinho e que esquentam muito mais. Se você resolver fazer uma continha simples, duas garrafas de cerveja contêm mais álcool que uma garrafa de vinho.

Talvez seja o fato de que os vinhos são produzidos em regiões temperadas. Talvez associem o vinho às cenas piego-românticas dos casais à beira da lareira e neve através da janela. Talvez alguma superstição que eu desconheça. Se não for por nenhuma dessas razões, fique à vontade para beber qualquer vinho em qualquer estação do ano. Mesmo em plena canícula do nosso verão.

Por outro lado, se a temperatura exterior não impede uma boa degustação, a temperatura do próprio vinho pode causar grandes desastres. Nada que não possa ser resolvido com alguns minutos de geladeira.

A temperatura de uma geladeira costuma ser de 4 a 5 graus. Tire um vinho branco de dentro dela e sirva-o imediatamente. Você acabou de detonar um grande Borgonha....

Os vinhos brancos devem ser bebidos frios, mas não gelados - isso apenas faz com que eles fiquem com gosto de refrescos ou de (arghhh) "wine cooler". A temperatura ideal é de 10 a 12 graus. Para se chegar a essa temperatura no verão basta deixar a garrafa fora da geladeira por uns 15 minutos antes de servi-la. Depois disso, mantenha a garrafa num balde alto com água gelada (só água, sem cubos de gelo). Só vinhos de sobremesa e os espumantes se tomam gelados, mesmo assim, não os abandone na geladeira por dias a fio.

Já os vinhos tintos tornam-se um caldo de sopa a partir de 22 graus. Os vinhos mais leves como os beaujolais e os cabernet franc e merlot nacionais ficam deliciosos a 15 graus. Os mais encorpados têm o seu melhor desempenho a 20 graus. A solução também passa pela geladeira só que dessa vez faça o contrário : coloque-o na geladeira cerca de meia hora antes de servir. O balde de água também pode ser utilizado para manter a temperatura, nesse caso com água menos gelada do que seria usada em um vinho branco ou, a menos que você se escandalize demais (ou seja mesmo um fresco, nunca se sabe), use aqueles protetores de garrafa de isopor que costumam ser usados com cervejas (lembre-se que o gosto do vinho é muito mais importante que a aparência da garrafa).

É claro que você não precisa ficar com um termômetro verificando se já está na temperatura ideal, basta que o vinho esteja aproximadamente na temperatura ideal. Na dúvida, é melhor gelar um pouco mais . No verão é mais fácil fazer a temperatura subir do que descer.

Bom verão. E bons vinhos.

8 comentários:

Anônimo disse...

Oi Fábio!!!
Adoro um vinho branco suave no verão :)
bjs
Tania

anja disse...

Adorei.
Agora estou uma expert
:))

Pessoa Comun disse...

hummmmmm.....como sou ignorante, bebo vinho quanto tenho vontade, gelado, claro, mas já que aprendi, mudarei-os de posição na geladeira, respeitarei suas varias temperaturas, apreciarei seus aromas...mas uma duvida, aquela tacinha que cabe meio litro pode?Por recomendações médicas só pode ser uma taça por dia, então comprei uma grandona, rsrsrsrrsrsrrsr...

bijim , aprendendo

Lou Mello disse...

Boa, você acertou no tema, em cheio. Vinho é a minha bebida predileta, em todas as ocasiões, até voando. Boa!

Vilma disse...

Retire a palavra vinho e colocque o nome de seu companheiro em algumas frases, aí está a receita para relacionamentos no verão:

"É claro que você não precisa ficar com um termômetro verificando se já está na temperatura ideal, basta que o FULANO esteja aproximadamente na temperatura ideal. Na dúvida, é melhor gelar um pouco mais . No verão é mais fácil fazer a temperatura subir do que descer."

hahahahahaha!

Vilma disse...

Aqui vai outra frase modificada:
"Por outro lado, se a temperatura exterior não impede uma boa degustação, a temperatura do próprio FULANO pode causar grandes desastres. Nada que não possa ser resolvido com alguns minutos de geladeira."
( hahaha! eu si divirto)

Taty disse...

Só por causa deste texto, vou tomar saquê frio,é assim que gosto! Tô sem vinho em casa.......quer mandar umas garrafas pra casa e dar aulas particulares? By the way...lembrei de escargot.

braziliankitchen disse...

Eu só queria entender por que brasileiros ainda têm preconceito com vinho branco (no verão ou no inverno). Qd recebemos visitas brasileiras aqui na Califórnia é difícil convencer as pessoas a experimentar um vinho branco. E olha que tem uns muito bons por aqui. bjoca