quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

O tônus do amor

Minha amada

Nessa distância em que nos encontramos não paro de pensar em você. Te amo fibrilarmente, sejam suas formas estriadas ou lisas.

Sinto falta do seus supinadores e dos seus flexores me envolvendo. Do perfume do seu esternocleidomastóideo.

Nesse momento queria mesma era beijar seu trapézio e te acolher entre meu serreado e o meu radial.

Lembro dos momentos em que afaguei seu bíceps femoral no escurinho do cinema, e permaneci invicto.

O toque do seu perônio no meu tibial por baixo da mesa. Seu semitendinoso sobre meu vasto externo.

O encontro do meu reto abdominal com seu pectíneo chegou mesmo a me provocar uma hipertonia momentânea.

Não vejo a hora de tocar seus deltóides cubitalmente. Você não sai do meu temporal e me dá um frio no oblíquo...

Quando voltar a sentir seus glúteos e seus gastrocnémios, meu costureiro flexionará o meu tendão.

A forma grácil dos seus sartórios, a sedução de seus psoas atraem meu ilíaco ao seu piriforme.

Que meus bucinadores encontrem seus orbiculares genioglossamente.

E que meu estapédio seja provocado por seu estiloglosso.

10 comentários:

Arimar disse...

Fábio.
Não queria estar no seu lugar na hora que você falasse do "esternocleidomastóideo" para sua amada. Não sendo ela uma Professora de Ciências, ia voar tapa para todo lado.
Beijos.
Arimar.

PS. A pipoca ficou bem melhor , pois antes eu queimava o açucar na panela, para fazer pipoca doce. Agora é só por o chantilly spray e pronto.

Vilma Mello disse...

Você precisa colocar um desfibrilador à mão para casos de paradas respiratórias



beijos de quinta feira

Bel disse...

Só tenho uma palvra pra dizer: DEUZEMAIS!

(Fiquei com preguiça de pensar e googlar pra entender!!!)

Bjo!

Regina Costa disse...

Adorei, Fabio! De provocar sístole e diástole! Abraço!

Rubinho Osório disse...

Seu... seu... pornógrafo!!!

Fábio Adiron disse...

Arimar: que bom que a pipoca ficou boa, minha próxima experiência será amendoim com calda de goiaba

Vilma: sempre tenho um na minha pasta

Bel: precisa movimentar mais a musculatura cinzenta

Regina, esse é uma caso típico de disritmia

RubinhO; você que fica vendo malícias em tudo, eu fui tão, tão... científico

Raquel disse...

Olha...eu não entendi quase nada,mas fiquei toda arrepiada...ô seu Fábio...fala desse jeito não...

clau disse...

Poxa...
Pecado as minhas aulas de anatomia serem sido tanto maçantes e sem nenhuma emoçao, que nao fossem as lagrimas provocadas pelo cloroformio que pesava no ar...
Pq, assim, seria tudo uma outra coisa!
Bjs!

Elis Zampieri disse...

Anatomicamente perfeita: a paixão e o texto :-)

Bjo.

Evelyn Scott disse...

Falar o que?!

Vindo de ti, muito mais que calórico ou científico...

Perfeito.
Bjs

saudades.
lembranças a todos