sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

É tudo química

Uma ligação não se estabelece assim sem mais nem menos, quem acredita em acaso não sabe do que está falando. O acaso não existe.

Antes de mais nada é necessário que o conjunto de forças atrativas seja mais forte que as forças repulsivas. Seja no centro, seja na periferia, mais dada a reações elétricas.

As ligações têm somente um objetivo, que é o de garantir a estabilidade. Um objetivo nobre, diga-se de passagem.

Quando a ligação é simples, entre pessoas razoavelmente similares, dizemos que são covalentes (a ligação e as pessoas).

Nesse caso, por maior que seja a repulsão por motivos externos, os núcleos se aproximam e se apaixonam irremediavelmente.

Algumas vezes, nem acontece nenhuma repulsão, e os seres envolvidos tendem a compartilhar sua própria energia, até quando essa seja instável.

O resultado é um casal neutro, onde os excessos de um compensam a escassez do outro. Provavelmente um dos casos mais comuns de ligações.

Por outro lado, também existem situações em que a energia de um é maior que a do outro. Seja de forma geral, seja em aspectos específicos.

Essa sobra de energia fica rodeando a ligação, até encontrar alguma covalência. Meus amigos Ione e Nico são o caso mais explícito que eu conheço desse gênero de ligação.

Quando a ligação é profunda, a ponto da energia de um mergulhar no mar de energia do outro, a relação se consolida como se fosse um metal raro e precioso.

São as ligações que explicam a condutividade e maleabilidade de muitas relações.

E, quando chegam a esse ponto, qualquer reação será sempre para manter eternamente a qualidade da liga.

4 comentários:

Vilma Mello disse...

Tudo tão complicado e tão simples...

Beijos de sexta feira

kiki disse...

Quando acho que você já falou sobre tudo, vem a química...a química insana deveria ser ensinada nas escolas,rsrs
bjs

Juliana disse...

Nesse caso são reações de química orgânica, eu imagino.

Elis Zampieri disse...

Certas substancias inflamáveis podem resultar em combinações explosivas, alguns podem ser também corrosivos causando efeitos destrutivos.
Mas vamo combiná que esse "casal neutro" também nao dá muito certo. Uma instabilidadezinha de vez em quando pra testar a resistência dos materiais e pra elevar as temperaturas não é tão ruim assim...