domingo, 13 de dezembro de 2009

13 passos para comemorar

Existem momentos e datas que merecem mais que uma simples comemoração, precisam ser lembrados pela eternidade.

Ao melhor estilo americano, aproveito o dia 13 para dar um roteiro de 13 passos para fazer um jantar memorável. Todas as sugestões que dou aqui foram testadas e posso garantir que os resultados ultrapassam qualquer expectativa.

1. Antes de mais nada as pessoas, convide para esse repasto pessoas que sejam interessantes, agradáveis e, claro que digam algo ao seu coração. Os dois primeiros aspectos são importantes, mas não querem dizer nada se o último não estiver presente. Sem motivação emocional, a festa pode ser significativa, mas não vai deixar lembranças duradouras. Por outro lado, se as pessoas forem realmente as mais importantes da sua vida, você pode até servir pipoca.

2. Comece a refeição com uma salada. É sempre uma forma fresca de se abrir o apetite. Eu recomendo saladas coloridas, uma vez que as cores alegram a vida. Alfaces, raddichios, cenouras pigmentam bem o prato. O molho é fundamental, é ele que faz a diferença, em saladas coloridas nada melhor que um molho branco, como sou adepto de gostos fortes recomendo um molho de gorgonzola.

3. Cada escolha de vinho é delicada e, ao mesmo tempo, crucial. O vinho para acompanhar a salada não pode ser forte demais que encubra os sabores vegetais, nem fraco que desapareça diante do molho. Para a salada acima recomendo um bom Tannat uruguaio. A vinícola Piasano tem excelentes exemplares.

Depois da salada começa a apresentação dos pratos principais. Sim, digo pratos no plural, primeiro porque sempre é bom ter alternativas que atendam o gosto dos seus convidados, você nunca sabe exatamente o que pode desagradar algum paladar. Depois porque, no meu caso, eu prefiro fazer mais de um prato do que dobrar as medidas, isso nunca funciona bem.

4. Uma carne que é, ao mesmo tempo, suave e marcante é o lombo de porco. Melhor que só o lombo é o carré, ou seja, o miolo do lombo ainda ligado às costelas do bichinho. Eu recomendo uma subversão, até porque eu adoro bagunçar os paradigmas culinários. No meu caso, eu peguei essa receita de filet mignon e fiz apenas a parte da carne assada com as ervas, deixando o que não considerei importante de lado. Grandes momentos exigem que você se foque naquilo que é fundamental, o olhar não pode nunca se distrair.

5. Ao invés do acompanhamento sugerido para a carne, eu recomendo que a subversão continue, dessa vez apelando aos grandes chefes que nunca podem ser esquecidos. A guarnição que Emannuel Bassoleil usa para o seu bouef bourguignon fica perfeita com o carré com ervas. Apesar do fato de que eu não como alguns dos seus ingredientes é preciso lembrar que você está fazendo a festa para ser compartilhada por muitos. Não faz sentido se concentrar apenas no seu próprio umbigo.

6. Como alternativa ao porco, uma carne vermelha, ou contrário. O que não impede que os comensais (que também desgustarão os doces da sobremesa) aproveitem ambos os pratos se seus estômagos assim os permitirem.

Essa receita eu reproduzo abaixo pois, na minha opinião é o ponto alto do cardápio. Tão importante que consegue fazer até os corações recalcitrantes ao fruto da oliveira enxergarem coisas que antes dele não tinham visto.

Filletto alla salsa di olive nere
Uma peça de filé mignon (1,5kg aproximadamente)
Sal e pimenta do reino
4 colheres de sopa de óleo de milho
300g de azeitonas pretas sem caroço
8 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
2 filés de anchovas
100 g de manteiga
2 xícaras de caldo de carne

Tempere o filé com sal e pimenta, asse-o no óleo de milho até atingir o ponto desejado Bata num liquidificador as azeitonas, o azeite, o caldo de carne, as anchovas, o alho até formar um molho denso.Fatie a carne. Jogue o molho por cima da carne com a manteiga e mais uma xícara de caldo de carne e aqueça por 5 minutos

7. Para acompanhar o filé com azeitonas sói escolher algo que lhe seja complementar, mas que de forma alguma lhe diminua o efeito do sabor. Opte por uma massa leve. Eu recomendo um tagliolone cozido al dente simplesmente temperado com manteiga e folhas de sálvia. A manteiga faz par com a que foi usada na carne.

8. De novo aqui temos a questão do vinho. Grandes pratos com sabores marcantes demandam um grande vinho. Não adianta querer economizar. Economia a gente faz no cotidiano para, quando chegam esses momentos especiais, comemorá-los comme il faut. Um bom borgonha se faz necessário. Se possível um Cuvée Margot – Laflaive - 2005

9. Todos devidamente alimentados, chega a hora mais doce do jantar, a sobremesa. Aqui, novamente eu reproduzo a receita que é curta, simples e deliciosa. É o meu doce preferido, só poderia recomendar esse numa situação em que se quer cortejar os paladares mais requintados.

Doce de abacaxi
Picar um abacaxi inteiro e deixar de molho de um dia para o outro em dois copos de água e duas colheres de açúcar. (se o abacaxi estiver muito doce eu ponho um pouco menos de açúcar). Ferver com 2 pacotes pequenos de pudim de baunilha (com a água). Deixar esfriar e colocar na geladeira. Quando o doce estiver firme, cobrir com chantilly e polvilhar côco ralado.

10. Por mais estranho que pareça a alguns, toma-se vinho com sobremesas, de preferência um vinho atacado pela nobre podridão (e não estou falando dos reis franceses pré-revolução mas de um Château d´Arche – Sauternes - 1999).

11. Estamos quase chegando ao fim do fabuloso regabofe. Hora de servir o café. Não pode ser qualquer café. De preferência um café gourmet. De todos que conheci até hoje, o meu preferido é o Astro do meu amigo Raymond Rebetez. Um coffea arabica 100% que tem um balanço perfeito de potência com baixa acidez.

12. O café merece algum tipo de complemento. Como estamos na época do Natal, eu sugiro que sejam servidas rabanadas (por favor, não confunda com rabada), que podem ser feitas com pão francês ou com pães próprios para isso que são vendidos nas boas padarias.

13. Por fim, guarde todas as lembranças que você tiver do evento. Fotos, cardápio, receitas. E, principalmente guarde no fundo do coração a lembrança de que uma data como essa deve ser comemorada para sempre.

2 comentários:

Vilma Mello disse...

Nossa quanta delicadeza...
beijos de domingo

Juliana disse...

Realmente precisa gostar muito. Uma dedicação como essa não é algo comum.