domingo, 1 de novembro de 2009

In vulcano veritas

Vulcão é uma estrutura geológica, o que nos permite concluir, antes de qualquer outra elocubração que a lógica estrutural da metafísica não se aplica diretamente às erupções dermatológicas.

Um vulcão, só se constitui como tal, quando o magma, gases e partículas quentes escapam para a superfície terrestre, ou seja, não é qualquer buraco fundo no alto de uma montanha que pode ser chamado por esse nome.

Quando eles ejetam altas quantidades de poeira, gases e aerossóis na atmosfera, podendo causar resfriamento climático temporário. Sei que isso pode parecer um contrassenso, imaginar que particulas quentes sejam geradoras de climas frios, mas lembre-se a lei de gravidade térmica diz que tudo que esquenta, esfria, nem que para tanto seja necessária uma ducha gelada ou uma garrafa de champagne.

Os vulcões são os únicos elementos naturais que causam poluição. Mesmo os não fumantes. Quanto ao formato, geralmente são cônicos, o que lhes permite direcionar melhor seus fluxo de lava. A lava, é uma matéria viscosa que se solidifica rapidamente se encontrar seu objetivo.

A erupção de um vulcão pode resultar em graves desastres naturais, por vezes de consequências planetárias. Uma erupção exagerada pode se alastrar além dos limites que seriam toleráveis e, se não devidamente contida pode gerar crises familiares entre pais e filhas.

Assim como outros desastres dessa natureza, as erupções são imprevisíveis e causam danos indiscriminados. Entre outras coisas, tendem a desvalorizar os imóveis localizados em suas vizinhanças, o que incomoda muito os corretores e os especuladores.

Os vulcões tendem formar-se junto das margens das placas tectônicas, no entanto, existem exceções quando os vulcões ocorrem em zonas chamadas de pontos quentes. A lógica preveria justamente o contrário, os vulcões deveriam se formar em pontos quentes e, por exceção, serem objetos arqui-tectônicos.

Por outro lado, os arredores de vulcões, formados de lava arrefecida, tendem a ser compostos de solos bastante férteis para a agricultura. Outra problema de lógica aqui. Lava arrefecida não tem a menor chance de ser fértil

Semânticamente a palavra "vulcão" deriva do nome do deus do fogo na mitologia romana Vulcano, que era um sujeito feio e que não cuidava direito da mulher. Vulcão que se preza pode até não ser bonito, mas sabe cuidar do que está dentro da sua zona de abrangência.

A ciência que estuda os vulcões designa-se por vulcanologia. Alguns vulcanologistas fundaram a Vulcabrás no ano 752 d.C, que depois entrou em decadência e hoje está quase extinta.

Vulcões extintos são aqueles que os vulcanólogos acham que têm poucas chances de entrar em erupção. Algumas descobertas recentes, no entanto, provaram que é possível reativar vulcões através de recursos farmacocinéticos.

4 comentários:

Vilma Mello disse...

Vou acordar depois eu volto...
beijos de domingo

Elis Zampieri disse...

Outro contrassenso: Os estímulos para as erupções são sempre externos (salvo nas tpms)

Bjos

Bel disse...

Prefiro os vulcões emocionais... pro bem ou pro mal eles são a cartase que alivia a alma! ;)

Juliana disse...

Onde fica mesmo o círculo do fogo?