quinta-feira, 3 de abril de 2008

Unhappy endings


Estou ficando velho. Não, não são só os cabelos brancos que proliferam. São sensações e impressões .

Outro dia fiquei acordado até de madrugada revendo um filme que devo ter visto a primeira vez quando tinha uns 16 anos - The Great Gatsby.

Lembrava vagamente da história, o romance dele com a chatíssima Mia Farrow (chatice que não é limitada a esse filme, mas perpassa toda a sua carreira), as festas no casarão e a morte no final (já não lembrava quem matava e por que) que me lembrou muito a cena inicial de Sunset Boulevard (em péssima tradução "O crepúsculo dos deuses) outro grande filme trágico.

Fiquei incomodado com situações e frases do filme . "Meninas ricas não casam com meninos pobres..." ; " ...por quê você não esperou ...? " ; ou quando ela diz ao primo " se você não tem dinheiro para casar com ela, tenha um caso.." Eu sei que você vai dizer que a vida é assim mesmo mas, se eu achasse a realidade satisfatória não escreveria insanidades.

Ele apaixonado, ela oportunista. Ele esperançoso, ela inconseqüente (não só em relação ao romance como em relação à vida). Nunca se sabe qual foi a forma, provavelmente ilegal, que ele usou para enriquecer. Os fins não justificam os meios, mas o objetivo romântico dele era mais forte.

Tão forte que não percebeu que ela nunca voltaria para ele. É perceptível que ela não vai voltar. Tanto durante o romance de verão quanto na crise dela com o marido no final do filme.

Mas ele não perdeu a esperança de que ela iria voltar. Ele não queria que o verão acabasse, mas concordava que existiriam outros verões pela frente (que acabaram não acontecendo).

Nada como uma história de amor sem happy ending para encerrar o dia

3 comentários:

Vilma disse...

Eu ficaria preocupada se você passasse as madrugadas arrancando os cabelos brancos! ahuahuahua!

malmal disse...

sei não achei melancólico demais, sua assumida velhice ,(heheheh),junto ao romantismo do moçoilo e toda essa descrença no final feliz...não assisto ao filme nunca mais, entristeci

bijim

Taty disse...

E quem disse que todas as histórias de amor precisam ter final feliz? Se fosse assim, o mundo seria sem graça!