segunda-feira, 27 de abril de 2009

Foi bonita a festa pá.

A data já estava sendo negociada há tempos e acabou sendo um dia cheio de questões simbólicas: o trigésimo quinto aniversário da revolução dos cravos. Não tivemos cravos, mas um lindo vaso de gérberas enfeitava a mesa.

A proposta era a de um jantar a 4 mãos, as minhas duas e as duas da minha prima Virgínia. Ela cozinha muito bem salgados (já tive a felicidade de experimentar) mas, como eu não tenho o menor pendor para os doces, eu fiquei encarregado da entrada e do prato principal, ela das sobremesas.


Chef e Chefa

Combinamos o cardápio, que depois recebeu nomes extravagantes inspirados pelo aperitivo de porco espinho. Quem come porco espinho come qualquer coisa...


Porco espinho

Já que você leu até aqui toda essa enrolação, aqui vão os pratos (depois eu peço as receitas dos doces para a Virgínia e também publico)

Gadus au façon de Torquemada*


Dessalgue em água gelada 1 kg de bacalhau em postas. Na última água acrescente 1/2 litro de leite.
Escorra e cozinhe o bacalhau em mais 1/2 litro de leite. Espere esfriar e desfie.
Numa panela grande coloque 1 xícara de azeite, alho picado e 1 cebola ralada, quando estiverem corados acrescente o bacalhau e refogue.
Passe o bacalhau num processador para ficar bem fino.
Com o bacalhau de volta à panela, acrescente 2 ou 3 batatas cozidas e espremidas e mexa bem.
Quando a mistura estiver homogênea coloque, aos poucos, creme de leite até a ficar com uma consistência pastosa (ceca de meio litro)
Verifique o sal, tempere com noz moscada moída na hora e deixe na geladeira por duas ou três horas.
Na hora de servir, regue com azeite e polvilhe pimenta rosa em grãos.

*O prato recebeu esse nome porque o coitado do bacalhau passa frio, calor, é despedaçado, triturado, espremido e mexido. Se você preferir um nome mais chique, pode chamar de Brandade de Morue.
Com o prato foi servido um Sangiovese Fontella 2006

Dorso artiodáctilo com magnoliopsida officinalis

Pegue uma lombo de porco de +-1kg, tempere com sal.
Depois pincele a carne com mel.
Faça um caldo de azeite, alho picado, pimenta do reino e ervas de provence e coloque na carne.
No dia seguinte asse por 2 horas coberto com papel alumínio e, depois tire o papel até o lombro ficar moreno.
Pegue o caldo que ficou do assado e cozinhe com folhas de alecrim, quando reduzir acrescente 100g de manteiga e mexa bem.
(o caldo das folhas de alecrim pode ser coado antes de acrescentar a manteiga, para não ficar com excesso de folhas)
Acerte o sal e sirva como molho da carne.

Pastifício cítrico picante


Rale a casca de 3 limões sicilianos e separe o suco dos mesmos.
Numa panela alta coloque 100g de manteiga e as raspas de limão.
Quando a raspa amolecer acrescente o suco dos limões e deixe reduzir.
Acrescente 1/2 litro de creme de leite fresco e mexa até reduzir um pouco.
Coloque uma colher de sobremesa cheia de pimenta do reino verde fresca e apague o fogo.
Coloque o molho em 1kg de macarrão não recheado da sua preferência, eu usei tagliatelle

Com o lombo e o macarrão, foi servido um Perfect Pinot -Lurton - 2006

No fim estávamos todos bem satisfeitos...

4 comentários:

Virginia disse...

Posso afirmar que os salgados estavam deliciosos...

Juliana disse...

Não sei o sabor, pelo jeito foi bom, mas a foto do macarrão está linda.

clau disse...

Independente da simbologia e de qtas maos façam aparecer um jantar assim tao bonito, é a intençao que se tinha de se reunir e estar junto, aquilo que é importante.
Pq estas oportunidades de se estar em comunhao, mm que sejam momentaneas, rendem seus efeitos eternamente.
Bjs!

Arimar disse...

Fábio.
Já copiei as receitas. Agora nos feriados , a familiada vai descer aqui para a baixada, e vou tentar fazer. Acho que para garantir vou imprimir suas fotos, rs rs .
Achei linda sua família. Fiquei tentando adivinhar os nomes , rs rs .
Mas, vai ter troco.
Parabéns.
Beijos. Arimar