sexta-feira, 3 de abril de 2009

Enredondilhado

Redondilha é o nome dado, a partir do século XVI, às estrofes em verso de cinco ou sete sílabas. Aos primeiros dava-se o nome de redondilha menor e, aos segundos, de redondilha maior.

I
Pia, pia, corujinha
Canta a noite do sertão
Mas a chata da vizinha
Prefere a televisão

II
Locupletei-me de beijos
Ela me repreendeu
Palavra tão horrorosa
Esse beijo não foi meu

III
Foi procurar namorada
Orkut, tweeter e messenê
Mas a vida de verdade
Ele mesmo nunca vê

IV
Meu coração é um deserto
Não dá nem mandacaru
Em dia de sol aberto
Transpira feito tatu

V
Numa tarde de outono
Fui contar-lhe minha dor
Deu-me antiinflamatório
e aplicação de calor

VI
Meu amor é coisa urgente
Não aprendeu aguardar
Nasceu sem ser esperado
Nunca mais vai acabar

4 comentários:

clau disse...

...bonitinho de tudo, Fabio!
A gente até que pode "cantarolar" uns versinhos assim. E se balançando como um pendulo, assim como faziamos com os versinhos da "batatatinha qdo nasce...".
Bons tempos aqueles...!
Bjs!

Fábio Adiron disse...

Clau

Não é para menos, batatinha quando nasce também é uma redondilha maior. Minha meta agora é fazer uma série com redondilhas menores.

Anônimo disse...

Só pra confirmar: Tatu sua? Acho que não fabio, mas adorei tudooooooooo.
beijosssssssss.
Maria.

Juliana disse...

Se tatu sua eu também não sei, mas que ficaram divertidas, isso ficaram.