segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Contículo solecista

"Eu sou — me disse — aquele anacronismo,
Que a vil caterva de sulfúreos ódios
Nas trevas sepultei de um solecismo..."
(Bernardo Guimarães)

Cheguei no bar quando anoitecia. Haviam muitas pessoas no local quando o pessoal saíram para assistir um filme e pudemos conversar em paz.

- Preciso falar com você.

Foi João que avisou-me sobre Anabela :

- Me parece que ela ficou contente com seu flerte
Eu, me fazendo de tolo, não respondi-lhe nada do que me perguntou, mas não resisti ao comentário:

- Me diga a verdade, rapaz, faz três anos que eu não cortejo a nenhuma garota...

- Ela estava namorando com o André. Me parece que não deu certo.

- Eu sei, ele aspirava o casamento, e ela visava outros objetivos...

- Ele é um homem grande, mas esses rapazes infeliz não aproveitam bem a vida.

- Me empresta a caneta, por favor ?

- Para que ?

- A gente precisamos de sua ajuda.

- Para marcar um encontro ?

- Não, para colocar essa placa lá fora : aluga-se conjuntos comerciais

- E a Anabela ?

- Já me esqueci. Tu fostes o único a saber da história.

Eu lhe abracei e a gente fomos embora.

Solecismo: consiste em desviar-se da norma culta na construção sintática.

4 comentários:

bete pereira da silva disse...

Lá no meu blogue a gente fazemos muitos solecismos.

Vilma disse...

Solecismo? o word corrige isso?

kkkk,

Boa semana!

Mariazinha_ disse...

acho que isso foi porque eu te perguntei aquela palavra que não lembro mais o nome e ainda fiz pior, escrevi ela errado, ao invés de colocar a letra n coloquei a letra m...
vo tenta se corrigi, ta?
beijoooooooooooooooo.

Juliana disse...

Depois e Anabel Lee se mata como no poema do Poe...e ainda acham ruim