sexta-feira, 1 de agosto de 2008

As peruas dos Backyardigans

Ah as férias de julho... sempre me trazem boas recordações. Bons tempos aqueles em que eu podia me esquecer de qualquer obrigação.

Ah as férias de julho... agora como pai, com duas crianças cheias de energia em casa, tenho de inventar algum tipo de programa para que nenhuma das partes (pais ou filhos) enlouqueça.

Infelizmente não dá para escapar um mês todo, como faço no verão (meu tipo de trabalho ainda permite essas coisas, pois nada acontece em Janeiro), então sobram algumas fugidas rápidas de 4 ou 5 dias cada...e mais vinte e poucos dias tentando inventar atividades.

Tente imaginar o que é ir a um show dos Backyardigans numa sexta feira à tarde no Credicard Hall em São Paulo...nada contra o show, que até estava divertido, mas o público....

Nesse local, nesse horário, só mesmo quem estava desocupado (ou fugiu do trabalho como eu), a saber : um monte de crianças com idades variando de zero a doze anos, muitos avôs e avós, uma multidão de babás parecendo um corpo de paramédicos (porque babá tem de usar uniforme branco ?) e mamães que não trabalham fora.

Também não tenho nada pessoal contra mulheres que se dedicam a ser mães, mas precisam ir num show infantil como se estivessem posando para a revista de fofocas ou badalando numa casa noturna ? E, claro, fotografando e se deixando fotografar com I-phones.

A peruagem era absoluta, com todos os aspectos ridículos inerentes ao fato. Roupas glamourosas e brilhantes, pernas em exposição, bastante silicone em busca de liberdade.

Tudo isso para enfrentar o alce da neblina, ultrapassar o guardião do portão que nunca se abre e atravessar o pântano fedorento e, finalmente, entregar a mensagem da rainha Tasha ao rei Austin e obter seu título de cavaleiro da Ordem do Fundo do Quintal.

Foi inevitável a minha comparação com outro show infantil que fui no ano passado. Como era um sábado à tarde, o público tinha uma presença de pais e mães razoavelmente comuns.

No próximo, escolho melhor o dia do espetáculo.

7 comentários:

Vilma disse...

O pior de tudo isso é ainda pagar para assistir repeteco, esse episódio já passou na tv... mas a "peruada" anda se multiplicando,até em reuniões de pais e mestres elas tem sido figuras constantes, mas terrível mesmo é encontra-las no supermercado com nojo de pegar em carnes e peixes...kkkkkkk

Juliana disse...

Depois conta mais dos silicones voadores, adoraria ler uma versão insana sobre isso.

Mariazinha_ disse...

Imaginando a cena e sorrindo... que sorte ainda existirem pessoas como vocês... que poderiam ter toda essa "pompa" e não, são somente pessoas que saem de casa pra passear com os filhos. tu podia ser tão parecido com estas pessoas pela tua posição social, mas é uma pessoa super simples, admiro demais teu jeito e fico tão feliz em ver que teus filhos vão crescer tendo como base isso, a igualdade entre as pessoas.
beijão com muita admiração e carinho.

clau disse...

...por um instante me pareceu que vc estava descrevendo a movimentaçao ali do aeroporto de Brasilia...
Bjs!

Fábio Adiron disse...

Supermercado, aeroporto, reuniões de pais e mestres...

Acho que vou sugerir à Sadia abater mais perus, além do fim de ano.

bete pereira da silva disse...

Tem aquelas que ficam balançando as chaves do carro o tempo todo, tem aquelas que usam óculos na cabeça, tem aquelas que combinam cinto vermelho com bolsa vermelha e sapato vermelho, ih,a lista é grande...

Chris disse...

Fábio

Fiquei imaginando a cena kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Morri de rir...

Mas o pior disso tudo é que os filhos destas serão os futuros "cidadãos"...

Chris