sexta-feira, 20 de junho de 2008

Traindo o vagante Aengus


Ezra Pound o considerava como "o único poeta merecedor de um estudo sério" o que, se tratando de Pound, não era pouca coisa. Para muitos, ele só é menor que Shakespeare...

Com vocês a minha tradução do vagante Aengus, de William Butler Yeats

A canção do vagante Aengus

Andando a rota das avelãs
Minha cabeça num fogaréu
Prendi em cascas cor de manhã
Na linha a baga cor de romã
Brancas mariposas pelo céu
Estrela mariposa meu chapéu
Na fonte cai a baga aldeã
Pescou a truta nadando ao léu

Mal tinha colocado no chão
A labareda queimando a lenha
Da terra surge uma aparição
Grita meu nome e me desdenha
Cintilante garota a penha
Qual flor de maçã sua feição
Meu nome chama e se embrenha
Na mata. No ar, some então.

Hei de envelhecer, sempre vagando
Em terras ocas, terras rochosas
Inda vou achá-la, tão amorosa
Beijar os lábios, as mão tocando
Na grama fresca nós caminhando
Colhendo em tempo, hora saudosa,
Maçãs de prata, lua enganosa
Maçãs douradas do sol queimando


Aengus é um personagem da mitologia celta

O original é :

The song of Wandering Aengus


I WENT out to the hazel wood,
Because a fire was in my head,
And cut and peeled a hazel wand,
And hooked a berry to a thread;
And when white moths were on the wing,
And moth-like stars were flickering out,
I dropped the berry in a stream
And caught a little silver trout.

When I had laid it on the floor
I went to blow the fire a-flame,
But something rustled on the floor,
And someone called me by my name:
It had become a glimmering girl
With apple blossom in her hair
Who called me by my name and ran
And faded through the brightening air.

Though I am old with wandering
Through hollow lands and hilly lands,
I will find out where she has gone,
And kiss her lips and take her hands;
And walk among long dappled grass,
And pluck till time and times are done,
The silver apples of the moon,
The golden apples of the sun.

Para conhecer outras traições, clique aqui

3 comentários:

Vilma disse...

Fábio, que traição mais bela, eu me surpreendo com sua capacidade, vamos dizer, cognitiva e fisiológica para coisa!kkkkkkkk

malmal disse...

Pois é...a Traição , como sempre , foi boa demais...
Gosto quando coloca poemas e traições.

Juliana disse...

Existem amores que só acontecem "once in a lifetime". Obrigada por me recordar as Pontes.