sábado, 14 de junho de 2008

Poema azul


Se poemas nascessem de olhos azuis
Folhas e mais folhas de papel estariam
Azuis.

Poemas talvez não nasçam assim.
Mas certamente nascem assim as paixões,
Renascem emoções.

Renascem
A adolescência sem juízo ,
Beijos com sabor de dente-de-leão ,
A tensão do namoro escondido em ruas solitárias.

Renasce a discussão sobre a cor do bem-te-vi.

E, quando na vida ,
Importa a cor do bem-te-vi,

Importa o azul de palavras no papel.
Importa o azul de olhos que pedem

Um poema.


Essa é a postagem número 300 do Mens Insana

4 comentários:

Vilma disse...

Não me importa o azul, me importa o bem-te-vi.

300 postagens com qualidade,

parabéns!

beijo!

Lucila disse...

Para mim o que importa são os azuis!!

Taty disse...

Mmmmmmm, este poema lembrou a primavera!

Juliana disse...

Sabiá ou bem-te-vi?