sexta-feira, 9 de abril de 2010

Azul em sonhos


Tantos azuis povoam os meus olhos
Borboletas ultramarinhas
colhendo suspiros sincopados.

Tantos azuis florescem nos campos
Hortênsias silenciosas
desabrocham celestes canções

Tantos azuis habitam minh´alma
Lágrimas perfumadas
Percorrem a arrebentação

Tantos azuis se espelham nas telas
Horizontes oníricos
Pigmentam os travesseiros

Borboletas, hortênsias e lágrimas
Horizontes e alicerces
Somente azuis no meu coração

Ilustração: Óleo sobre tela da minha prima Virginia Susana Fantoni Ribeiro

3 comentários:

Virginia Susana disse...

Querido primo, uma honra ter minha tela no seu blog... honra em dobro ao acompanhar tão belo poema...

Vilma Mello disse...

Lindo poema azul...

beijos de sábado

clau disse...

Fabio, é bonito vc descrever, poeticamente, tudo aquilo que o azul lhe evoca! Mm que eu, por aqui, esteja sensibilizada pelos tons de verde das folhas que brotam por toda parte...!
Bjs!