quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Um lance de dados


Un coup de dés jamais n'abolira le hasard. Stephanne Mallarmé



Mesmo que eu quisesse eu não poderia fazer nada. Apenas olhar atentamente dentro dos seus olhos, às vezes, desviar a atenção do fogo lento que me consumia. Poemas sobre a mesa. Vinho.

Você falando, sem medo, sobre inspiração. Eu revivendo, sem medo, a inspiração. O limite do medo é a coragem absoluta. A vida correndo sobre a margem dos limites.

Chuva de primavera. Gotas de oportunidade, escorriam o desejo sem planos, pintando em telas internas um quadro imprevisto.

Surrealista. Crescimento e despertar do desejo líquido. Límpido. Anseios subconscientes, surrealistas, mais fortes que medos reais. Corações se derramando.

Você falava me olhando. Certeza se derramando em gotas de primavera. O ambiente cobrando de nós uma decisão.

Um lance de dados. Sem chances, ganha-se ou perde-se.

Um lance de dados é apenas outro lance.

Por mais que se possa prever. Mesmo sendo as mesmas mãos. Sejam os mesmos dados
e a mesma superfície onde são jogados.

Jamais.

Um lance de dados , mesmo quando lançados em circunstâncias eternas. Jamais abolirá o acaso.

Por acaso o acaso se completou em nós. Em olhares. Em limites. Em gotas.

Liquidamente surrealista.

3 comentários:

Vilma disse...

Continue lendo francês...
e me ajude a falar "pâtisserie".

A vida é um jogo de dados, mas apenas os mais atentos e otimistas conseguem perceber os bons resultados...

Hoje você tirou um 6......!

Beijos em português

Bom dia!

Juliana disse...

Entre Baudelaire e Mallarmé eu fico com Adiron (imagino que também seja de origem francesa). Na maioria das vezes eu consigo entender o que escreve, diferente dos dois anteriores.

Elis disse...

Uau!Lindamente surrealista! Saboreei cada palavra, cada linha.
Abraços e bom descanso.
Bjos da Elis