domingo, 14 de dezembro de 2008

A morte dos amantes

Tudo bem que o homem não era um exemplo de conduta. O que esperar de alguém que escreve sobre as flores do mal ?

O que não significa que não tenha escrito algumas das mais belas páginas da poesia francesa.

Essa já foi vítima de várias traições (traduções). A minha é apenas mais uma :

Deitaremos em lençois perfumados
No mausoléu profundo de um sofá
No mármore uma flor que já não há
Aberta sob céus embelezados

A fogueira arde quente inda por lá
Nas brasas de corações inflamados
Inúmeros beijos cristalizados
Espelho ardente a iluminará

Aquela tarde mística, envolvente
Acesa num relâmpago fremente
Depois um incontido e breve adeus.

Depois virá um anjo abrir a porta
Reavivando todos sonhos meus
Reacendendo a chama quase morta

Para quem prefere os originais, o texto é :

La Mort des Amants

Nous aurons des lits pleins d'odeurs légères,
Des divans profonds comme des tombeaux,
Et d'étranges fleurs sur des étagères,
Ecloses pour nous sous des cieux plus beaux.

Usant à l'envi leurs chaleurs dernières,
Nos deux coeurs seront deux vastes flambeaux,
Qui réfléchiront leurs doubles lumières
Dans nos deux esprits, ces miroirs jumeaux.

Un soir fait de rose et de bleu mystique,
Nous échangerons un éclair unique,
Comme un long sanglot, tout chargé d'adieux;

Et plus tard un Ange, entr'ouvrant les portes,
Viendra ranimer, fidèle et joyeux,
Les miroirs ternis et les flammes mortes.

— Charles Baudelaire

3 comentários:

Vilma disse...

Poderia brincar, poderia falar sério, poderia ser reticente, poderia responder a poesia,mas sua traição está tão bela que a única vontade que tenho hoje é de conhecer um anjo.
Meu amigo, você se supera a cada dia.

Beijos de domingo!

Bom dia!

Lully disse...

São as maças da vida!

Beijo

clau disse...

Hihihi...
Tarefa das mais duras traduzir uma poesia!
E 'ta certo que traduçao é uma coisa assim meio que "intima" mm, que cada um tem a sua...!
E assim nòs terminamos ficando com uma poesia que tem um pouquinho de seu,tb!
Bjs!