quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Estamos em férias


O ano de 2008 foi cheio de idéias que se espalharam em todos os meus blogs. Durante 366 dias foram 447 publicações sendo

310 textos aqui no Mens Insana

61 textos no Calvinistas, graças a Deus

39 textos no Inclusão: ampla, geral e irrestrita (além de mais uma coleção de textos escritos por convidados)

37 textos no Espicaçando o Marketing ( além dos textos do Volney e de outros escritos por convidados)

Acredito que você possa aproveitar as minhas férias para colocar suas leituras em dia....risos

Um abraço aos meus leitores e comentaristas. Volto no final de janeiro.

Fábio Adiron

9 comentários:

Braulio França disse...

Boas festas e boas férias!!! Um abraço forte amigão...risos

Mariazinha_ disse...

puxa vou sentir saudade mas espero uma foto lindaaaaaaaa das crianças especialmente pra mim. :)
beijos, que o natal seja de união e muita alegria.

Laura Rachman disse...

Feliz Natal Fabio!!!
beijo nas criancas e na Elza.

Vilma disse...

Cadê o insano que estava aqui?

O mar levou.

Cadê o mar?

Foi atrás do sol.

Cadê o sol?

Foi namorar a lua.

Cadê a lua?

Está cuidando da selenita.

Cadê a selenita?

Está mandando beijos para o insano.

Quando gira o mundo...

Vilma disse...

Tá legal... acho que terei que fazer chantagem para o insano aparecer...

Vou abrir uma garrafa de vinho e infelizmente terei que tomar tudo sozinha e ele vai perder o melhor da festa: eu vomitando e tomando sal de fruta.

Hahahahaha!

Será que vai funcionar???

Vilma disse...

È acho que não funcionou, vou tentar um poema (pelo tanto de poemas que ele posta aqui deve gostar):

" A ruazinha lagarteando ao sol.
O coreto de música deserto
Aumenta ainda mais o silêncio.
Nem um cachorro.
Este poeminho
È só o que acontece no mundo..."

(Mario Quintana)

Esperarei...

Vilma disse...

Acho que não gostou do poeminho... ser quintanista não é para todo mundo, vou pelo mestre:
( Fernando Pessoa)

Começa a ir ser dia,
O céu negro começa,
Numa menor negrura
Da sua noite escura,
A Ter uma cor fria
Onde a negrura cessa.


Um negro azul-cinzento
Emerge vagamente
De onde o oriente dorme
Seu tardo sono informe,
E há um frio sem vento
Que se ouve e mal se sente.


Mas eu, o mal-dormido,
Não sinto noite ou frio,
Nem sinto vir o dia
Da solidão vazia.
Só sinto o indefinido
Do coração vazio.


Em vão o dia chega
Quem não dorme, a quem
Não tem que ter razão
Dentro do coração,
Que quando vive nega
E quando ama não tem.


Em vão, em vão, e o céu
Azula-se de verde
Acinzentadamente.
Que é isto que a minha alma sente ?
Nem isto, não, nem eu,
Na noite que se perde.



Perdeu-se na noite????ahuabhuahuahuahua!

Vilma disse...

Nem sombra do dito insano...

Vou embora, mas deixo-lhe com Clarice Lispector em " A hora da estrela":

"[...] Nâo tinha aquela coisa delicada que se chama encanto. Só eu a vejo encantadora.Só eu seu autor, a amo.Sofro por ela. E só eu é que posso dizer assim:" que é que você me pede chorando que eu não lhe dê cantando?" Essa moça não sabia que ela era o que era, assim como o cachorro não sabe que é cachorro.Daí não se sentir infeliz. A única coisa que queria era viver.Não sabia para quê, não se indagava.Quem sabe achava que havia uma gloriazinha em viver.Ela pensava que a pessoa é obrigada a ser feliz.Então era.[...]"

"[...]Mas que fina talhada de melância[...]"

Agora só volto quanto tiver café fresco nessa casa... humpf! cansei!

Vilma disse...

Só para dizer que considero "final de janeiro" do dia 20 ao dia 31...Minha cobrança está no prazo certo, ano que vem seja mais específico...assim não terei a porta na cara tantas vezes e você não precisará apagar tantas postagens...ahuahuahuahua!