sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Poemeto pigmentar


Monastra minha amada
Talvez não seja nada
Talvez em si seja tudo
Ou mudo

Monastra querida minha
Não escute a vizinha
Ela adora uma fofoca
Na toca

Monastra minha flor
Nunca duvide do amor
O meu nunca acaba
Na taba

Monastra minha vida
Se alguém duvida
Da nossa sina
Ftalocianina

8 comentários:

Arimar disse...

Fábio.
Será que a Monastra sabe o que é
Ftalocianina?
Beijos

Raquel disse...

Ftalocianina,dá o mesmo efeito que fluoxetina? Parece.

Vilma A. de Mello disse...

Muito romântico, mas que chulé logo de manhã...hahaha

beijos de sexta feira

Vilma A. de Mello disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Taty disse...

Monastra??????? Isso é nome de algum ET? Beijos

clau disse...

Nao sabia se lhe perguntava da monastra, que eu pensei ser uma borboleta(por associaçao de idéia) ou se lhe pedia para me dizer se a ftalocianina seria um aminoacido essencial ou uma nova raça bovina.
Hihihi!
Bjs!
PS: E um
Feliz aniversario!!!

Bel disse...

Insanidade tb é cultura... vc me obriga a ir no Pai Google tentar completar as lacunas pra compreensão do poema, mas... não ajudou muito!
Só descobri que ftalocianina é "um material fotossensível utilizado na fabricação de discos graváveis como CD-R, CD-RW, DVD-R ou DVD-RW".
Aí faz sentido o "fotossensível..." hehehe

Bjo!

Bel disse...

ops... "pigmentar" !
kkkkkkk a DDA aqui tá em forma!!!