terça-feira, 30 de março de 2010

Conto de fadas perfeito

Era uma vez um cortesão que se apaixonou pela sua rainha. Não se sabe ao certo o por que, mas ela olhou para ele e encontrou aquilo que procurava. Se amaram loucamente. Foram felizes por uma vida e mais infinitas eternidades.

Era uma vez uma vez uma princesa que beijou um sapo que desastradamente se afogava na sua xícara de café. Sob céus eclesiásticos eles descobriram vida um no outro e se tornaram um para sempre.

Era uma vez um ogro que vivia solitário numa floresta tenebrosa. Um dia, raios luz cerúleos o encadilaram e ele conheceu o significado da felicidade. Nunca mais deixou de seguir aquela luz.

Era uma vez um homem cheio de defeitos e vazio de esperanças. Um dia ele encontrou a mulher perfeita, que mudou a sua vida e o tornou um ser amoroso, feliz e apaixonado.

Era uma vez um contador de histórias que tentava escrever o conto de fadas perfeito. Anotava histórias sem parar, uma mais linda que a outra. Se apaixonava cada vez que começava tudo de novo.

Nunca conseguiu acabar nenhuma delas. Descobriu que eram histórias que não tinham fim e "para sempre" não era suficiente para definí-las

3 comentários:

Vilma Mello disse...

Era uma vez uma comentarista que após ler um texto maluco começou a achar que existem contos perfeitos...

clau disse...

Desde pequena eu achava adoravel tudo o que começava com um "era uma vez", sò pq tinha sempre o seu que de magico...
Mas em origem, estes contos nem sempre tinham os finais adocicados com um "viveram felizes para sempre", como se tornou de praxe. Hihihi.
Bjs!

Fábio Adiron disse...

Vilma: como autor do texto maluco fico lisonjeado com sua conclusão.

Clau: de vez em quando eu também invento uns "era uma vez" com finais grotescos, hehehe