terça-feira, 21 de outubro de 2008

Secretas secretárias

Quando Estela casou com Romeu estava a par da sua história, ela mesmo fazia parte dessa obsessão.

Ainda estagiário na empresa, onde já trabalhava há 30 anos, Romeu se apaixonou por Margarida, a secretária do seu gerente. Logo que foi efetivado a pediu em casamento. Durou 10 anos.

Já era ele mesmo o gerente, quando começou a reparar nos dotes de Evelise, a sua secretária. Sucumbiu à tentação. Primeiro de maneira furtiva, depois reconheceu que não estava sendo honesto com a esposa e se separou. Casou com Evelise dois meses depois da homologação. Durou quase 20 anos.

Estela viera trabalhar com ele por indicação de uma agência de empregos de alto padrão, seria a secretária do presidente. Foi mais que isso. Teria sido apenas uma amante de luxo (dessa vez Romeu já não era tão honesto) se não tivessem sido flagrados por uma amiga de Evelise.

Já que estava descasado de novo, Romeu demitiu Estela e se casaram. Estela condicionou o casamento ao direito dela ser a responsável pela contratação da sua próxima secretária.

O processo de seleção não foi fácil. Descartou todas que eram minimamente bonitas ou jovens demais. Pensou em contratar uma idosa, mas isso não era garantia nenhuma uma vez que Romeu também não era mais um jovenzinho.

Só ficou feliz no dia que apareceu um candidato. Ernesto. Conhecia bem Romeu e sabia que era um machista convicto. Além do que Ernesto também era casado, o que o tornava um candidato de risco zero.

Dois anos depois recebeu uma ligação de Romeu que estava na África do Sul em uma conferência. Não ia voltar. Ele e Ernesto tinham resolvido assumir e iam morar juntos em Seychelles. Nunca mais precisaria de secretárias.

Estela quase teve uma síncope. Ligou para a mulher de Ernesto pensando numa estratégia para reaverem seus maridos. Descobriu que o casamento destes era só aparência, a mulher de Ernesto vivia com uma companheira.

A pior notícia ainda estava por vir. descobriu que durante esses dois anos Romeu tinha transferido todo seu dinheiro para um paraíso fiscal no nome de Ernesto. Estava abandonada e na miséria.

8 comentários:

Bel disse...

Que horroooooor!!!

Ainda bem que EU sou a secretária de Namorado...

clau disse...

...hihihihi.
Qq semelhançazinha com a nossa vida real seria uma mera coincidencia, n'é verdade?!...
Hum.
Bjs!

Vilma disse...

Muito sano para um insano.Fiquei intrigada com o ditado...seria ele impopular?, na dúvida, vou de notas musicais: só, dó, ré, não necessariamente nessa ordem, já que a vida não tem ordem alguma.

Anônimo disse...

êpa! que tal erros novos?
A ficção é uma reserva de sanidade acessível...

Braulio França disse...

O meu médico contratou uma secretária dessas e também acabou casando com ela e largou da esposa. O rosto dela é muito bonito, mas o corpo virou uma baleia! Mas ela continua sendo a secretária do marido. Será que ela conhece a estória do Ernesto...

Ana disse...

Farei um comentário geral depois de ler os três últimos posts. Depois do almoço dá uma leseira...e lendo seus posts....dá vontade de não fazer mais nada....só ficar lendo, lendo, lendo.....Já disse...adoro seus textos e adoro mais ainda lê-los...

Lou Mello disse...

Parece insano casar com a secretária, com o secretário, nem se fala. O cara acorda no meio da noite e manda a secretária, digo esposa, trazer o penico. Depois manda ela esvaziar, manda, manda a até perder a graça e casar com a próxima, ou próximo. Cult mesmo é casar com a professora...dos seus alunos.

Paulo Cesar disse...

Cada um com a secretária que merece...ou será cada uma com o marido que merece...sei lá...