sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Hai kais em extinção


Jacarandá

Consegui roubar
além do beijo, um olhar
mimosa paixão

Araribá

Encosta de pedra
espinhos da multidão
sem constrangimento

Sucupira

Tremores nas mãos
tratamento natural
emana do tato

Peroba

Sem uma palavra
O desejo cor-de-rosa
no pé da montanha

Pau-brasil

Momento presente
arrepio em seu olhar
sem começo ou fim

7 comentários:

clau disse...

Nossa...!
E eu que nem sabia que sucupira era uma arvore...
Hum.
Pensava sò fosse o nome de familia de um amigo do primario que era Araripe Sucupira!
Valeu!

Anônimo disse...

Do fim

Tulha sul
Sol e chuva
Pálida cor

Pássaro sudeste
Atento olhar
Canto suave

Fino trato
Selante
Madeira de lei

Castelo na lua
Mãos hábeis
Olhos atentos

Do começo

Anônimo disse...

Fábio

Eh... inspiração, novas paixões sempre nos protege das mazelas da vida.
beijos

Fábio Adiron disse...

Clau : Araripe é uma cidade do Ceará...vai ver que tinha muita sucupira

Rô: a inspiração pode vir também das velhas paixões, basta mantê-las acesas.


Anônimo: isso é concorrência desleal...risos

Leãdro Wojak disse...

só faltou um para a araucária, que ilustra a postagem. :)

Rubinho Osório disse...

Você e a Neli me dão vontade de fazer hai kais... parecem tão simples, com um baita impacto!

Vilma disse...

oops! não postei nesse?