segunda-feira, 21 de julho de 2008

A anta. O anta.

A anta ou tapir (Tapirus terrestris), maior mamífero da América do Sul, é no entanto muito menor que seus parentes da África e da Ásia. O seu correspondente dentre os humanóides, O anta, por outro lado, tem quase sempre o mesmo tamanho em qualquer continente, ainda que a variedade de antices que perpetrem possam variar de micra a milhas.

A anta tem três dedos nos pés traseiros e um adicional, bem menor, nos dianteiros. O anta costuma ter o mesmo número de dátilos em todas as patas, o que não significa que saiba usá-los de forma coordenada ou lógica. Um anta típico costuma usar as patas dianteiras em digitação de textos aborrecidos e que desafiam o bom senso.

A anta tem uma tromba flexível, preênsil e com pêlos que sente cheiros e umidade. Vive perto de florestas úmidas e rios: toma freqüentemente banhos de água e lama para se livrar de carrapatos, moscas e outros parasitas. O anta costuma fazer tromba quando contrariado na sua irracionalidade. Vive praticamente em qualquer habitat e não se livra de parasitas, até porque ele mesmo costuma ser um.

Herbívora, a anta, come folhas, frutos, brotos, ramos, plantas aquáticas, grama e pasta até em plantações de cana-de-açúcar, arroz, milho, cacau e melão. O anta geralmente não come nada do que as pessoas que o acompanham desejam e ainda fica fazendo comentários sobre a qualidade nutritiva dos pratos de outrém, geralmente a partir de e-mails apócrifos que recebeu e redistribuiu para todos os seus conhecidos.

De hábitos noturnos, a anta esconde-se de dia na mata, saindo à noite para pastar. O anta tem hábitos dioturnos e parece que nunca para para descansar e nunca deixa de fazer com que os outros pastem com a sua presença.

A anta é um animal de hábitos solitários, são encontrados juntos apenas durante o acasalamento e a amamentação. A fêmea tem geralmente apenas um filhote, e o casal se separa logo após o acasalamento. O anta é gregário e pegajoso, sempre tenta aborrecer o maior número de pessoas possível. Infelizmente costumam acasalar com outros da mesma espécie, perpetuando uma variedade animal que gostarísmos que estivesse extinta.

Os machos da anta marcam território urinando sempre no mesmo lugar. Além disso, a anta tem glândulas faciais que deixam rastro. Os antas costumam comentar sobre os seus hábitos urinários e suas visitas ao proctologista, como se o assunto fosse de interesse público. Marcam o seu terrítório de forma inequívoca, especialmente em escritórios onde o seu rastro é percebido a grandes distâncias.

Quando ameaçada, a anta mergulha na água ou se esconde na mata. Ao galopar derruba pequenas árvores, fazendo muito barulho. Nada bem, e sobe com eficiência terrenos íngremes. Já o anta, quando sente-se em perigo, apela para a ignorância e tenta desqualificar o seu oponente, já que não consegue contestar suas idéias. Ao fazer isso, derruba a ética, o senso-comum e, não poucas vezes, a moral e os bons costumes.

A anta emite vários sons: o assobio com que o macho atrai a fêmea na época do acasalamento, o guincho estridente que indica medo ou dor, bufa mostrando agressão e produz estalidos. O anta também costuma assobiar para fêmeas, provocando repulsão, exceto quando são fêmeas d´O anta. Geme incomodamente para demonstrar dores que não sente, bufa sempre que contrariado e, além de estalidos, adora fazer barulhos repetitivos que incomodem os circunstantes.

Eu só costumo encontrar a anta quando vou ao zoológico (o exemplar acima é do Zoo de São Paulo). Já espécimes de O anta tenho encontrado todos os dias. Ai meus sais...

6 comentários:

Juliana disse...

Tem algum zoológico antropopático que eu possa mandar os que eu encontro??

Bel disse...

Perfeito!!!
Você me autoriza a divulgar (citando a fonte, é claro)???
Um abraço, e parabéns (atrasado) pelo Dia do amigo!!!

Vilma disse...

Eu também ando incomadada com a proliferação dos anta, e cada vez que encontro um, faço questão de lembrar que aquilo é só um momento, e que logo voltarei para meus amigos verdadeiros...Ando meio Polyana esses dias. Um beijo!

... disse...

Sabe ? A bem da verdade, tenho até caracteristicas de anta...
faço bico quando não gosto...mas ainda deve haver salvação pra humanidade, reconheço alguns, mas pior é quando a gente encontra as Antas com todas as caracteristicas juntas...dai, tenho que concordar com vc...

Onde estão os meus sais?

bijok daqui
Adorei este texto !!!!

Fábio Adiron disse...

Juliana : se encontrar antes, me avise.

Bel: autorizadíssima

Vilma: volte sempre!

...: bico é uma coisa, tromba é outra...KKK, tenho flor de sal por aqui, serve ?

clau disse...

...divertidissimo, Fabio...!
Lendo vc falar do anta, me lembrei do meu pai qdo falava dos boçais, que, assustadoramente, aumentavam em indices geométricos...
E eu prefiro disparado a anta do zoologico, que a coitada nem é boçal e nem mm energumena.
Hihihihi!
Bjs!