sexta-feira, 4 de julho de 2008

Ana Lê

Ana lê
palavras perdidas de um poema
Falam de amor
De canções
De cinema

Ana Lê
repreende o verbo
mal colocado
O tom sem sentido
Desafinado

Ana lê
trafega figuras de linguagem
Metáforas que surgem
de passagem

Ana Lê
compõe amor e amizade
Desfia e desafia o tempo
Não a saudade

8 comentários:

Bel disse...

Me senti a própria... (Eu sou Ana, sabia???)

Vilma disse...

Ana Lê, ops! Vilma lê, até especificações nas caixas de cereal...

PALAVRAS&POESIAS disse...

Lindo!
Maravilhoso.
Não precisa admitir, sei é foi para mim.
Abraço da Ana Mello.

Mariazinha_ disse...

...compõe amor e amizade
Desfia e desafia o tempo
Não a saudade

O que Ana faz com a saudade? Quem sabe ela leia ocupando todo o tempo e assim não deixando a saudade chegar. Saudade não combina com leitura, ai é a arte da música a combinação certa.
Sabe Fabio, sou amante de livros, de letras, não importa se revista, jornal ou um pote de shampoo, sempre ocupei meu tempo lendo, mesmo que vendo tv.
Ultimamente tenho ouvido muita música e lido pouco...
:(
Beijo, parabéns!!!

Fábio Adiron disse...

Anas, Vilmas, Marias : que seja para todas as amantes dos livros e das letras...e mesmo para a Anas que eu não sabia que eram.

E vocês sabiam que Ana é um nome hebraico que quer dizer "graça"??

malmal disse...

o que mais gosto é do desafio, mesmo porque não posso desfiar, dou nós no tempo...

bijok,

gosto dos seus poemas

arimarcampos disse...

Fabio.
Hoje realmente você contemplou todo mundo. Eu também me sinto uma Ana, pode até me chamar de Anamar.
Não quero ser melhor que as demais, mas tenho até um tamanquinho cor-de rosa , iqual ao da gravura.rs rs rs .Abraços.
Arimar.
Obs. Meninas, é brincadeira, pois meu número é 41, e realmente não tenho aquela candura

Volney Faustini disse...

Excelente! Gostei muito.