sábado, 25 de agosto de 2007

Rosas

As rosas são uma constante na nossa vida lítero musical amorosa. Desde as rosas mais trágicas como a de Hiroshima, até as mais pops, como o Samuel Rosa...

Olho a rosa na janela
Sonho um sonho pequenino
Se eu pudesse ser menino
Eu roubava aquela rosa
E ofertava todo prosa
À primeira namorada

O mais interessante é que apesar da rosa dar nome a uma cor, muitas cores dão seus tons às rosas. Não sei se originalmente as rosas só eram cor-de-rosa e foram se transformando no processo evolutivo ou de brincadeiras transgênicas. Minha escolha pelas vermelhas é sempre intencional.

Não me agradam as rosas brancas, me passam um imagem funesta e lúgubre.

As amarelas são bonitas, mas o que diz o amarelo ? Só se minha intenção fosse relembrar alguma indiposição de fígado.

Existem rosas cor de champagne. Lindas. Mas são aquelas que a gente oferece para a mãe, ou para uma tia velhinha.

As rosas rosas também são bonitas, talvez pelo meu momento atual, eu as ache infanto-juvenis.

As vermelhas...ah...as vermelhas. Sempre sou lembrado da dramaticidade do vermelho. Vermelha é a sua pele quando encontra aquele alguém (depois, conforme vai relaxando o vermelho se amaina) , vermelho o sangue que lhe sobe pela cabeça quando se choca com algo.

Primavera
Sedução vermelha

O amor desabrocha numa flor
Vermelha
A primavera seduz numa cor
Vermelha

Logo, as rosas não poderiam ter outra cor. Mesmo quando são vermelhas, ainda são rosas.

Por isso pode ser que minha linguagem amorosa seja meio anacrônica. Não estranhe. A terminologia mais moderninha não combina com a minha idade.

Tu és, divina e graciosa
Estátua majestosa do amor
Por Deus esculturada
E formada com ardor
Da alma da mais linda flor
De mais ativo olor
Que na vida é preferida pelo beija-flor

Rosas...rosas ... rosas...
Rosas formosas são rosas de mim
Rosas a me confundir
Rosas a te confundir
Com as rosas, as rosas, as rosas, de abril

Ok, ok. estamos quase em setembro, o mais cruel dos meses...mas isso é assunto posterior

2 comentários:

Pessoa Comun disse...

existem aquelas correspondencias das cores da rosas e seus significados quando ofertadas, que afinal nem vale a pena ser dito, porque as vermelhas, são mesmo as da paixão, logo da vida, da satisfação e td mais que há de bom.
no mais vc está certo, não cabe as definoções modernosas. hahahha, tb passei da idade..

bijim gostando de te ler

Taty disse...

Mas ganhar rosas ainda me faz feliz! Mesmo que seja uma rosa sozinha...
Comecei a gostar mais das rosas depois que passeei pelo Garden Roses em Pasadena, e que tal as rosas colombianas? Estas sim devem ser híbridas por causa do tamanho...mas mesmo assim abro os meus braços para um maço de rosas colombianas vermelhas, que lembram a paixão, a música flamenca, a sensualidade das danças ciganas e que me levam ao êxtase.