domingo, 26 de agosto de 2007

O sorriso de gata da Alice

Em 1986, Anne Bancroft (linda como sempre) e Anthony Hopkins (nada assustador como costumava ser) protoganizaram uma pequena jóia do cinema chamada "84 Charing Cross Road", pessimamente traduzida (como sempre) em "Nunca te vi sempre te amei" (o que já conta o desfecho da história....como na tradução do filme de suspense que virou "O assassino era o mordomo")

Quem nunca viu, veja. Procure nos sebos, nas video locadoras que tem filmes de arte. É a história da correspondência (por carta de papel, selo, correio....) entre a escritora Bancroft, em Nova York e o livreiro Hopkins em Londres (o nome do filme é o endereço da livraria).

É a história de uma grande paixão. A paixão comum que os dois tinham pelos livros.

Sempre que troco mensagens com a minha amiga Alice eu me lembro dessa história. Não a conheço pessoalmente (claro que, em tempos de Internet, nós temos a vantagem de já termos visto um ao outro em fotos dos álbuns virtuais) mas, em alguns momentos, é como se ela morasse no apartamento ao lado, falamos de filhos, de amores, de poemas (e ela escreve bem prá chuchu), de trabalho...e daquilo que a vida nos colocar na frente.

Mas Alice não me lembra só desse filme. Seu delicioso sorriso me lembra o irônico sorriso do Cheshire Cat de Alice no país das maravilhas (pena que a gente não more nesse país....) e para ela escrevi o poemeto abaixo.

Surreal o sorriso do gato
De Alice
Gato feliz
Que não se contenta
apenas
não se contém

A face que encontra
É a que não procura
Pois nada procura
Não indica o caminho
Se não se sabe o destino

Um gato cheio de felicidade
alicidade
numa cidade além
da curva do rio

A porta se abriu e eu entrei
No sorriso real
Que o gato deixou para Alice







3 comentários:

Taty disse...

Nunca te vi...sempre te amei lembra os amores virtuais que acontecem hoje em dia.

De repente, esses amores podem ter os toques mágicos do País das Maravilhas....

Alice disse...

Pofff!...
Sabe que som é este?
Eu caindo para trás e batendo estatelada no chão...rs
Quando vc me perguntou se eu tinha visto, achei que fosse a resposta do genuflexo..rs
Ai que eu vou ficar insuportável!!!..rs
Fabio...este filme é um dos mais bonitos que assisti, demonstra que a ligação vara fronteiras até mesmo a da disntancia, que respeita e ama na medida q este amor pode existir...
Quanto ao poema .. ah ele está guardadíssimo com todo carinho e adimiração que tenho por vc!.. e vc sabe porque eu já falei!
Meu amigo mais que querido!

Vilma disse...

Corre Alice, corre..., os ponteiros do relógio não tem descanso, se quer descobrir muito mais, corre pela vida...