quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Traição tardia

Pequena descoberta recente, Elizabeth Jennings era uma mestra da simplicidade.

O que não significa que traí-la seja uma tarefa fácil mas, como diria o sábio Maxwell Smart : eu vou adorar...

Tardio

O esplendor da estrela se inclina em mim
Raiava há anos. Essa luz que agora
Brilha além de onde olhos vêem o fim
Então o tempo incita e vai embora.

O amor de agora não alcançará
Sem que o desejo antes se aventure
Olhar, crendo belo, descobrirá
Amor, que ao chegar, nos encontre alhures.

Abaixo segue o texto original

Delay
by Elizabeth Jennings

The radiance of the star that leans on me
Was shining years ago. The light that now
Glitters up there my eyes may never see,
And so the time lag teases me with how

Love that loves now may not reach me until
Its first desire is spent. The star's impulse
Must wait for eyes to claim it beautiful
And love arrived may find us somewhere else.

3 comentários:

clau disse...

...qdo aquilo, que parece simplesmente uma poesia, possue uma sutil e precisa mensagem...

E que vc, agora sem os seus chinelos, seja benvindo à vida confinatoria da cidade!
Bjs!

Vilma disse...

"Um ratinho bonitinho
que fazia qui-qui-qui
roubou todo o meu queijinho que estava bem aqui
eu armei uma ratoeira
pra pegar o traidor
mas peguei o meu dedinho
puxa vida!Ai que dor!"

Beijos de quarta.

Mariazinha_ disse...

puxa por que eu nunca consigo entender? li, reli, "relili" e nadaaaaaa... até fiz aquelas paradas que imagino tenha, mas não deu carto, não fiquei emocionada e se isso não aconteceu é só porque eu nãi sei ler coisas chiques assim.
ah, na foto escrito "lendo" estava lendo Dois Irmãos, de Milton Hatoum.
É o terceiro ano que leio este livro na praia, é o terceiro verão que ele me acompanha...
Beijos, meu amigo.