quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Ars gratia artis


A polêmica deve ter surgido quando o primeiro australopiteco acabou seus primeiros desenhos nas cavernas de Altamira, seu companheiro de moradia olhou para aquilo e perguntou: "- Será isso arte, ou não?"

Diz a lenda que eles se chamavam Caim e Abel e que a discussão não acabou bem.


Tecnicamente, arte (Latim Ars, significando técnica e/ou habilidade) é entendida como a atividade humana ligada a manifestações de ordem estética, feita por artistas a partir de percepção, emoções e ideias, com o objetivo de estimular essas instâncias de consciência em um ou mais espectadores, dando um significado único e diferente para cada obra de arte.


Uma definição bastante ampla que poderia ser resumida em "qualquer porcaria é arte", uma vez que nesse espectro, até esse texto pode ser considerado como artístico.

No sábado passado, por indicação de uma professora de pintura fomos (eu, Virginia e as crianças) ver "Em Nome dos Artistas", um imenso panorama da arte contemporânea americana.

Fiquei sinceramente animado quando, ao pesquisar sobre a mesma, me deparei com uma matéria que definia o conjunto de artistas da mostra como o dream team da arte contemporânea.


Vou poupar meus leitores dos detalhes sórdidos a respeito do que vi mas, garanto, passei o tempo todo olhando para aquele imenso conjunto de tranqueiras me perguntando o que é que define arte.


Não sou um purista que rejeita o abstracionismo ou a música atonal, mas reconheço que aquilo ultrapassou todos os meus limites de tolerância.

Quem melhor definiu a exposição foi a Letícia. Segundo ela, a melhor parte do passeio foi a água que compramos na saída, essa, pelo menos, teve um efeito refrescante para ela.


E pensar que eu poderia ter ido à Pinacoteca ver a marinas de Fernando Lemos...(tudo bem, o próximo final de semana está chegando)

*essa foto foi tirada a caminho do carro na volta, simboliza o estilo profundamente artístico do que vi

3 comentários:

Taty disse...

A arte de um pode ser a bagunça pro outro! A frase "cada cabeça é uma sentença" cai feito luva na concepção do que é arte. Mas fazer arte é muito bom! Beijos arteiros....

Arimar disse...

Fábio.
Fui ver.
Entrei muda sai calada.
Houve épocas em que ir a Bienal, era a coisa mais rica e que me levava a Reflexões mil.
Beijos.
Arimar

Rubinho Osório disse...

"Até este texto pode ser considerado artístico"... agora vc exagerou!!!!