sábado, 4 de junho de 2011

Quatro estações

Para ler ouvindo as 4 estações de Vivaldi ou as 4 estações de Piazzolla, ou ambas.

Ele nasceu no inverno, ela no outono, ele sofria no verão, ela odiava o frio.

Ela o viu a primeira vez no inverno, ele, na verdade, nem reparou muito nela.

Ele a reviu no outono seguinte, ela nem notou sua presença.

As estações se sucederam sem que tivessem muito contato. Um inverno de relacionamento.

Reencontraram-se num fim de primavera, mas não conversaram até o final do verão.

No outono as folhas caiam enquanto a amizade frutificava.

Inverno, primavera, verão...

Então ele teve um outono quente. Ela teve um inverno acalorado.

A primavera os acolheu com suas flores e perfumes.

O novo verão os fundiu em seu calor.

Amalgamaram-se no outono gelado.

Solidificaram-se nos rigores do inverno.

Amaram-se eternamente até o final de todas as estações.

3 comentários:

Jô Bibas disse...

Tocante.
Bom fim de semana, Fábio. Aqui, alternando picos de outono e primavera, com um inverno espiando na curva...
BJô

Taty disse...

Bom dia, apesar do frio matinal que fez no parque ( um pseudo inverno ), o sol foi mais forte ( um pseudo verão ) e conseguiu aquecer a alma. Beijos

Anônimo disse...

Fabio.
Por aqui as estações estão no calendário e nos corações.
Mas mesmo assim, teimam em colar algodão (como se fosse neve) nos cartões de Natal das criançsa(?).
Só se for para enxugar o suor!
Beijos